20.11.08

Fragmento #69 – Perdidos e achados

Ontem, ia bastante entusiasmada dar uma aula onde colocava os alunos a escrever sobre pequenas pinturas feitas por mim, levava-as guardadas numa capa A3 debaixo do braço; saí de casa quase uma hora mais cedo para poder preparar tudo como deve de ser; dirigi-me para um dos elevadores do centro comercial do Campo Pequeno, para passar pelo Multibanco e depois apanhar o metro: à porta do elevador estava uma velhota de muletas, deixei-a passar à minha frente e a porta fechou-se; ambas ficámos à espera que o elevador descesse, mas quando olho para os botões, reparo que não carreguei em nenhum. A senhora olhou-me com o sorriso malandro e disse: já vi que está pior do que eu! Achei piada, continuei o meu caminho e quando ia quase a chegar à escola, ao sair do metro, reparo que não trazia a capa debaixo do braço: fiquei em pânico, estavam lá dentro cerca de 20 originais guardados. A primeira reacção foi pensar no meu percurso, se tinha largado a capa no metro nunca mais a iria ver, e se em último caso, não a encontrasse, como ainda tinha tempo, ia buscar mais trabalhos a casa. Voltei para trás, com a esperança de a ter largado quando levantei dinheiro: no balcão dos atendimentos do centro comercial ninguém sabia de nada. Dirigi-me então ao Multibanco, não a vi, mas estava um senhor no balcão de atendimentos do banco àquela hora, ele tinha a capa guardada, foi um alívio. Dirigi-me novamente para o metro, com a capa bem segura nas minhas mãos, tinha tempo, ia chegar à aula mesmo em cima da hora e com todo o material. Pelo caminho, lembrava-me constantemente da senhora de muletas a avisar-me que estou pior que ela, com uma enorme vontade de rir, que partidas que o destino nos prega.

Maria João

5 Comments:

At 5:04 da tarde, Blogger sara rocio said...

Quando conto à minha mãe, situações idênticas de distracção. Ela põe o seu ar mais irónico e diz: Deixa estar, com idade isso passa!
Bjs

 
At 5:31 da tarde, Blogger etanol said...

Espero que a tua mãe tenha razão ;)
Maria João

 
At 8:36 da tarde, Blogger Estela Baptista Costa said...

Eu sou testemunha!
Que grande susto me pregaste quando entraste pela casa adentro, em pânico. Naquele momento só pensei que tinha morrido alguém. Mas, felizmente, acabou tudo bem! A reacção às minhas distracções são sempre conotadas como "coisas de artista", enfim, é o Karma.

 
At 1:13 da manhã, Blogger Luis Eme said...

é a experiência de vida da senhora, com e sem muletas, Maria João...

 
At 1:40 da manhã, Blogger etanol said...

Estela:o pessoal da música é melhor que nós nestas andanças:)

Luís: chama-lhe experiência, acho que foi mesmo sorte!

Maria João

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home