20.12.08

EXPLICAÇÃO ÀS PASSAROLAS, A ÚLTIMA

A bosta dos links, mais uma vez a bosta dos links. Desta feita é o Anastácio que se constata. Nunca ninguém se queixa, todos constatam. Acontece que já expliquei milhentas vezes que ando sempre a mexer nos links. E já expliquei diversas vezes porquê. Da última vez, apaguei-os todos. Pensei que seria a melhor opção. Vamos lá a ser honestos. O Insónia é muito linkado, gesto que agradeço linkando quem o linka (quando reparo no gesto). Por fazermos um link de um blog no nosso blog não quer dizer que o leiamos. Não teríamos tempo para fazer mais nada senão ler blogs. Há aqueles blogs que não nos linkam e nós linkamos porque os lemos, há os que nós linkamos por simpatia mas raramente visitamos, sobretudo porque não temos tempo par ler tudo. Tenho uma vida para lá dos blogs. 8 horas de trabalho diário, mais alguma coisa. Trabalho numa livraria, escrevo artigos para uma revista mensal com a regularidade que me é possível e desejável, respondo a várias solicitações, como a do prefácio que o Anastácio anuncia no post acima linkado, recebo dezenas de mails todos os dias sobre todos os assuntos e mais alguma coisa, desde gente que me pede opiniões sobre o que escreve a leitores convidando-me para outras aventuras, umas que se concretizam, outras nem por isso, convites para isto e para aquilo, gente que me pede um endereço postal para me oferecer livros, etc. Tenho tido sorte, a simpatia das pessoas, o reconhecimento, vai-me massajando o ego. Um exemplo disso é este post. Há ainda as polémicas, os insultos, os elogios. Gente que me escreve com intrigas, pedidos de explicações sobre coisas com as quais nada tenho/tive que ver, gente que me escreve explicando-se quando eu não pedi explicações algumas… Nestes anos de blog julgo que já me aconteceu de tudo um pouco. Não me queixo, constato. E há a vida para lá dos blogs. Há duas filhas, uma mulher, um cão, a família, os amigos, eu. Há o estar doente, animado e desanimado, há as viagens, os passeios, há o tempo, o nosso tempo, há as insónias, a asma, há tudo aquilo que é vida para lá desta vida virtual. Fui apanhado pelo fenómeno dos blogs. Não escolhi o que tenho vivido nos últimos anos, mas foi o buraco onde me meti voluntariamente. Há muita gente muito boa, há muita gente muito chata. Acontece que em Agosto passado pensei acabar com isto tudo. A vontade de deletar todos os blogs que tenho é uma constante, o que levou o meu editor OVNI a sugerir um backup de tudo para que nada se perdesse. Se se perdesse, acreditem, eu não sentiria a mínima tristeza. Mas parece que há quem sinta essa tristeza, pessoas entre as quais algumas que muito prezo. Ora, isto tudo para dizer que em Agosto passado apaguei os links todos e muita outra coisa. Devo dizer, por exemplo, que o Insónia poderia ter mais de 8000 posts on-line não fosse a minha mania de apagar posts antigos. Uns porque passam a livro, outros porque nunca deveriam ter existido, outros por razões como esta: no passado dia 4 recebi um mail de um tal Flávio Gonzaga Silva que dizia o seguinte: «Lamento mas a foto do Manuel João Vieira no blog que exibes tem direitos de reprodução. Foi tirada por Celso Assunção ao serviço da Cartolas' Band, no dia 4 de Maio de 2002 em Aveiro... Sugiro que disponibilizes no blog o nome do seu autor e que, já agora, informes onde a obtiveste. Desde já obrigado pela tua atenção. Flávio Silva». Eu apaguei o post. Não só porque me lembraram da existência de uma fotografia horrível do MJV no Insónia, mas porque me senti envergonhado por ter ferido os direitos autorais de um tal Celso Assunção, representado no e-mail em causa por um tal Flávio Gonzaga. Onde fui buscar a fotografia? Sei lá! À net. Este é só um exemplo do que é a vida do Insónia. Adiante. Neste momento temos 4340 posts on-line, mas a vontade de ir reduzindo, apagando, fazendo esquecer, esse desejo é irresistível. Pelo que, em breve, teremos menos. Apago, respeitando apenas os meus desejos, a minha vontade. Pudesse eu apagar partes da vida, apagaria. Não podendo, apago partes do blog. Depois de ter apagado os links todos em Agosto, quando pensava que me tinha libertado finalmente deste monstro, vi-me enredado numa teia de equívocos que não vou aqui esmiuçar por serem pessoais e fazerem parte da vida irrevelável. Voltei então a blogar e tive que refazer a coluna de links. Fi-lo de memória, indo buscar aqueles que visitava mais e os outros que ia detectando pelo site meter. A pouco e pouco a coisa foi-se recompondo. Isto tudo para explicar ao Anastácio que não foi minha intenção deitá-lo para o lixo, deixar de o ler – até porque nunca o li com a certamente devida atenção que ele merece – ou sequer despromovê-lo na magnífica coluna de links do Insónia. Ele não é o primeiro a queixar-se. Peço desculpa, a constatar-se. Nem será o último, disso tenho a certeza. Para mal dos meus pecados.

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home