16.2.07

Bem lembrado

«O conselho do Wittgenstein das Investigações Filosóficas: desconfiar do poder que a linguagem tem de fazer com que tudo se assemelhe

Lido num algures que estou interditado de revelar.

15 Comments:

At 9:07 da tarde, Blogger Lutz said...

Obrigado pela dica...
Por acaso há textos, como o referido, para os quis não se compreende o recato em que o seu autor os obriga ficar.

 
At 9:14 da tarde, Blogger hmbf said...

É verdade Lutz, é verdade. :) Mas temos que respeitar a vontade do autor...

 
At 11:55 da tarde, Blogger AMC said...

Apoiado! Isto ainda vai levar à subscrição de uma petição (tão in nos tempos que correm) :)

 
At 1:12 da manhã, Blogger etanol said...

A língua é uma grande puta, e a linguagem sua filha!
Maria João

 
At 11:07 da manhã, Blogger manuel a. domingos said...

bravo!

 
At 12:35 da tarde, Blogger hmbf said...

:) uma petição seria boa ideia :)

 
At 12:37 da tarde, Blogger hmbf said...

Maria João,
Gosto muito de língua de puta, mas dispenso as suas filhas. :)

 
At 5:50 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Esperei pelo sétimo comentário para dizer Foda-se! Admito que o autor deste blog tenha assumido um qualquer compromisso ou autocompromisso de honra para não dizer quem lhe proibiu o quê. Mas já não percebo as piadinhas, os recadinhos, o piscar de olhos entendido de luminárias iniciadas. É que pode haver aqui quem não saiba quem é Wittgenstein ou quem é actualmente o blog proprietário de Wittgenstein (o Dias Felizes?). Porque não se chamam os bois pelos nomes e deixa de se criar este ambiente maricas da courtoise linguagem «oriental» dos paninhos quentes?
Filipe Guerra

 
At 6:20 da tarde, Blogger manuel a. domingos said...

bravo!

 
At 6:24 da tarde, Blogger hmbf said...

Filipe, a citação do Wittgenstein provém de um texto publicado num weblog cujo autor pediu para que não fosse divulgado. O Lutz e o AMC sabem qual é esse weblog, daí o diálogo, digamos assim, mais maricas. É um autor que muito prezamos e, por isso, julgamos que os seus textos deveriam ter, como já tiveram, outra exposição, mas por respeito ao autor estamos impedidos de o divulgar. É só isso.

 
At 6:53 da tarde, Blogger manuel a. domingos said...

se não o quer divulgado que razão o levou a publicar num weblog?

há lá coisas que não entendo!

 
At 7:30 da tarde, Blogger hmbf said...

manuel,

o autor não quer que divulguemos o weblog. não é o texto. é o weblog. está no seu direito. há weblogs privados. sabes disso, não sabes. weblogs que partilhamos com algumas pessoas mas que, tanto quanto nos é possível, não expomos a esse vasto e grandioso mundo da blogosfera nacional. são, esses weblogs, assim como uma festa privada. não é para compreender, é para respeitar. bem, com isto tudo já me arrependi de ter feito o post.

 
At 8:26 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Faz-me lembrar os tempos do lápis azul,mas mais trabalhado aos dias que correm!

 
At 10:07 da tarde, Blogger manuel a. domingos said...

compreendi-te. esclarecido

 
At 11:28 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Também não é caso para tanto (arrepender-se do post). Eu gosto das palavrinhas palpitantes que foi lá tirar.

Acresce que o blog só é "discreto" para estimular a imaginação judaico-cristã em que todos somos mais pródigos do que o filho nos seus melhores dias. Para isso não pode sair da catacumba.

Admito que seja um bocado tonto. Caprichoso. Mas não esqueçamos que é de um blog que se trata. Aquela coisa que é uma coisa que é uma coisa. Nada mais.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home