17.10.07

A BUSCA

Como ordenado, busquei a minha origem,
Atravessei a cidade onde viveu o meu avô
E não encontrei nenhuma rua conhecida;
E pelos subúrbios, cegos bangalós,
Lilás, laburno, florindo minuciosamente
E nas montanhas, bosques,
Províncias distantes, infinitas de verde,
Andei, andei, noite e dia,
Sempre seguro da rota

Embora a gente fosse bizarra, estranha;
E as aves, uma espécie nunca vista,
Se lembrassem de mim.
Por fim cheguei a uma aldeia
Onde me disseram: foi aqui que nasceste.
Um lugar improvável – sem bomba de gasolina,
Bloco de escritórios, cartaz? –
Mas não poidia negar, e perguntei o nome:
Se é Mors, temos que dizer-te mors, MORS.


Tradução de Manuel de Seabra.

Michael Hamburger

Michael Hamburger nasceu a 22 de Março de 1924 em Berlim, no seio de uma família judaica, tendo ido para a Grã-Bretanha em 1933. Poeta, crítico, académico, traduziu autores como Hölderlin, Celan, Sebald, entre outros. Foi uma dos grandes divulgadores da literatura alemã na Inglaterra. Após serviço militar no exército britânico, completou os seus estudos e dedicou-se à escrita. Como poeta estreou-se em 1950 com o volume Flowering Cactus. Faleceu no dia 7 de Junho de 2007.

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home