22.9.05

MANIFESTO

Eu gosto muito dos senhores que moram no meu prédio.
O prédio é alto e tem elevadores. Assim é melhor porque ninguém
tem que carregar ninguém às costas. Quer dizer, as pessoas
também podiam ir pelo seu próprio pé mas isso era se não houvesse
pessoas no meu prédio que precisam de favores. Precisam,
e depois pagam com as costas na subida-Ouvi dizer que há
pessoas no meu prédio que têm em casa florestas normandas (eu
cá só ervas daninhas!). É que o elevador do meu prédio avaria
muitas vezes. Avaria, e depois os senhores dos andares de cima
precisam de carregadores. As pessoas dos andares de baixo
começaram a nascer todos os dias com as costas mais
largas para poderem carregar melhor, e agora o elevador
avaria quase sempre. A minha sorte é eles saberem que
eu só tenho em casa ervas daninhas. Nunca me pedem para
os carregar nem sequer estacionam as suas árvores novas
a barrar-me a entrada de casa: têm medo de ser contaminados.
Agora são os senhores dos andares de cima que me pedem
favores: se posso mudar de casa, de prédio, que até me
oferecem uma casa com florestas normandas lá dentro.
Mas eu não quero. Estou bem aqui. As minhas ervas
chegam já ao primeiro andar. Às vezes subo por elas
e convidam-me para jantar. Falamos e rimos e quando
nos calamos o silêncio à volta é maior.
Até agora cresceram sempre frescas pelo seu pé acima.


Rui Costa

4 Comments:

At 1:35 da tarde, Blogger fabianalopescoelho said...

As entrelinhas, a ironia suave, um certo pesar nas palavras e as constantes personificações tornam o texto muito interessante.
Gostei.

 
At 3:30 da tarde, Anonymous Anónimo said...

foi exactamente isso que dizes que TENTEI fazer.Rui Costa

 
At 7:51 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Gostei!

JR

 
At 3:02 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Viva JR!
Rui Costa

 

Enviar um comentário

<< Home