28.5.05

PALAVRAS

Machados,
depois do seu golpe a madeira ressoa,
e os ecos!
Ecos que partem
do centro, semelhantes a cavalos.

A seiva
jorra como lágrimas, como
água capaz de lutar
para refazer o seu espelho
sobre uma rocha

que cai e se transforma,
uma branca caveira
consumida pelas ervas daninhas.
Anos depois
encontro-as na estrada…

Palavras secas e sem cavaleiro,
infatigável ruído de cascos.
Enquanto
do mais fundo do lago as imóveis estrelas
regem a vida.


(tradução de Maria de Lourdes Guimarães)


Sylvia Plath nasceu no dia 27 de Outubro de 1932 em Boston. Mostrando-se excelente aluna, desde muito cedo ganhou os seus primeiros prémios literários. A sua mãe viria a retratá-la, mais tarde, como uma jovem dividida entre a esperança e um temperamento profundamente depressivo. Em 1953 tentou suicidar-se pela primeira vez. Casada com Ted Hughes desde 1956, de quem viria a ter dois filhos, nunca aprendeu a viver com as suspeitas de infidelidade do marido. Viria a suicidar-se em 1963, após a separação com o poeta inglês. Nesse mesmo ano foi publicado, sob o pseudónimo de Victoria Lucas, o seu romance autobiográfico intitulado The Bell Jar. A reunião da sua poesia, editada por Ted Hughes em 1981, ganhou, a título póstumo, o Prémio Pulitzer. Há livros seus traduzidos para português na Assírio & Alvim e na Relógio D’Água.

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home