29.7.05

FAZENDO AMOR EM POESIA

a partir de A. Breton
Numa guerra onde cada segundo conta
o Tempo cai no chão
como a sombra de uma árvore
debaixo da qual nós dormimos
num barco de madeira feito da árvore
por um carpinteiro desconhecido
além do mar
onde flutuam caroços de pêssegos
disparados por um artilheiro a cabo de
munições
com um canhão do qual a boca arranca
buracos em forma de coração
ao horizonte da nossa carne
moída de sol
muda de estupefacção
entre o acto do sexo
e o acto da poesia
planeando no ar que escurece
no momento do amor e do júbilo
não há clarividência
sob a miséria do mundo.
Tradução de André e Isabelle Lima.

Lawrence Ferlinghetti (1919)

Lawrence Ferlinghetti nasceu no dia 24 de Março de 1919 em Nova Iorque. Figura de proa da Beat Generation, doctorou-se em poesia na Sorbonne, Paris, com uma tese intitulada: The City as Symbol in Modern Poetry: In Search os a Metropolitan Tradition. Fundou, com Peter Martin, a revista City Lights, na sequência da qual nasceria a City Lights Bookstore. Acompanhou a sua acção poética com a actividade de editor, iniciando uma colecção intitulada Pocket Poets onde viria a publicar o famoso poema de Allen Ginsberg que dá pelo nome de Howl. Ferlinghetti foi uma das figuras do movimento Beat mais empenhadas politicamente, motivação que terá ido buscar aos seis meses passados em Nagasaki após a destruição da cidade japonesa no final da Segunda Grande Guerra. O seu primeiro livro data de 1955 e foi publicado na City Lights: Pictures of the Gone World.

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home