26.5.06

Gosto de listas

O José Miguel Silva listou aqueles que são, em sua opinião, os 10 melhores filmes nacionais de sempre. Eis uma alternativa, completamente subjectiva, por ordem cronológica:

1. «Aniki Bóbó» (1942), de Manoel de Oliveira;
2. «Belarmino» (1964), de Fernando Lopes;
3. «Quem Espera Por Sapatos de Defunto Morre Descalço» (1971), de João César Monteiro;
4. «O Lugar do Morto» (1984), de António Pedro Vasconcelos»;
5. «Balada da Praia dos Cães» (1986), de José Fonseca e Costa;
6. «Ossos» (1997), de Pedro Costa;
7. «Longe da Vista» (1998), de João Mário Grilo;
8. «Tarde Demais» (2000), de José Nascimento;
9. «Noite Escura» (2004), de João Canijo;
10. «Alice» (2005), de Marco Martins.

Nota: Nenhum destes 10 filmes faria parte da minha lista dos 10 melhores filmes de sempre.

7 Comments:

At 12:57 da tarde, Blogger jpt said...

cada um com os seus gostos. e cronologias. o post de origem que tanto valoriza o referido trânsito deu o toque que deu
eu, a listas destas, só me ocorre sorrir. não me venham com direitos ao subjectivismo, a subjectividade - há valores absolutos, até óbvios. e na arte ainda mais. como é possível elencar os mais do cinema português e esquecer o leão da estrela - mero facciosismo. amiguismo, até (se fosse de literatura esta votação assim se chamaria o deslize). os melhores dez? meia dúzia de leões da estrela. depois as tralhas outras. esta, sim, é uma opinião fundamentada. estética, técnica e ideologicamente

 
At 1:13 da tarde, Blogger as velas ardem ate ao fim said...

vais me achar estranha mas vi todos esses filmes menos os primeris 2 e gostei.Não seriam os filmes da minha vida mas gostei.

 
At 1:49 da tarde, Blogger manuel a. domingos said...

eu cá só vi o 1 o 4 e o 5

 
At 2:30 da tarde, Anonymous hmbf said...

jpt: redundante seria dizer que estes são só os 10 filmes portugueses que eu mais gostei de ver. Provavelmente vi apenas mais 10. Mas para quê tanta cagança a explicar, com minudências que me parecem escusáveis, tratar-se isto de uma escolha assim como quem discute à mesa se Maradona foi melhor ou pior que Pele? É que isto não tem mesmo outro objectivo que não seja fazer ir. Parece que cumpriu. Quanto ao «Leão da Estrela», meu caro, há filme bem melhor: Alvalade, 14 de Dezembro de 1986, 14ª Jornada, Sporting - 7 Benfica – 1. E isto sim, esta, sim, é uma opinião fundamentada. estética, técnica e ideologicamente.

as velas ardem ate ao fim: porquê estranha?

Manuel a. domingos: e fizeste muito bem. alguns andam por aí em DVD.

 
At 3:21 da tarde, Blogger jpt said...

Concordo completamente, segundo os tais critérios absolutos em termos de opinião (absolutos=irrefutáveis) o exemplo que deu é também inolvidável (tecnica, estetica e ideologicamente). Nada desmerecendo o meu exemplo (eu gosto mais do preto-e-branco, a única subjectvidade que aceito, neste caso) Assim sim, gosto de aproveitar estas ocasiões para firmar dogmas.
Cumprimentos

 
At 1:43 da manhã, Blogger fgs said...

Estás a esquecer «O pai tirano» (1941), do Lopes Ribeiro; que é uma grande comédia. A farsa dentro da farsa magistralmente filmada.

 
At 1:49 da manhã, Blogger fgs said...

Ah e a Branca de Neve do César Monteiro, que deu origem à melhor frase de um realizador sobre os que pagam para ver os seus filmes: «Eu quero que o público se foda.»

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home