18.10.06

O stôr pessimista

Um dos ensinamentos mais úteis da profissão docente é o de que as pessoas não gostam de ouvir a verdade. Por exemplo: se formos directores de uma turma e não quisermos chatices, em conversa com os encarregados de educação devemos sempre dizer que o aluno se comporta razoavelmente bem, não inspira cuidados de maior, tem excelentes capacidades, ainda que as desaproveite. Dito deste modo, nenhum encarregado de educação levantará qualquer problema. Mas se dissermos que o aluno não tem comportamentos correctos, ele logo perguntará o que fazemos contra isso; se, por acaso, revelarmos que é um aluno com lacunas pedagógicas, logo teremos que ter em conta os péssimos professores do passado; se acusarmos parcas capacidades no aluno, seremos rapidamente confrontados com a necessidade de valorizar o esforço e o empenho, mesmo que este seja pouco mais que nenhum. É natural que as pessoas só se preocupem quando as confrontamos com o que está mal, mas não é natural que se alheiem quando lhes dizem que tudo está bem. Porque quando tudo está bem é óbvio que alguma coisa está mal.

2 Comments:

At 4:19 da tarde, Blogger etanol said...

Os pais não gostam de se sentir culpados nem responsaveis pelo que está mal nos seus filhos, depois tem de colocar a culpa em alguém ( nos professores, no sistema, no mundo?). E a merda da culpa também nunca resolveu nada, é verdade ou mentira?
Maria João

 
At 10:17 da tarde, Anonymous hmbf said...

É VERDADE!!!!!!!

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home