28.2.07

Da comoção

Nada me comove mais do que a fraqueza. Não a fraqueza dos homens fracos, sobretudo dos moralmente fracos, mas a fraqueza franca de quem não consegue consumar a vontade. Por exemplo, quando alguém tenta impedir a tosse, quando alguém contrai os músculos, quando alguém sustém a respiração, quando alguém procura evitar o espirro, sabendo que, por mais que se esforce, nada impedirá a tosse. Só pode ser muito forte quem assim se esforça contra a fraqueza.

4 Comments:

At 12:24 da tarde, Anonymous marta said...

Sinto a mesma comoção perante esses gestos. Nos exemplos que deste, comove-me sobretudo uma certa hesitação que os antecede... a dúvida quando as mãos quase a alcançar a boca, páram e voltam de novo à boca. ou ao nariz. as mãos em volta da cara. Acredito que "só pode ser muito forte quem assim se esforça contra a fraqueza."

 
At 4:57 da tarde, Blogger hmbf said...

obrigado pelo comentário

 
At 5:37 da tarde, Anonymous Anónimo said...

forte é aquele que dá parte fraco naquilo que escreve.

 
At 5:46 da tarde, Blogger Movimento Pela Net Mais Barata said...

Reconhecermos as nossas fraquezas torna-nos mais fortes e sábios e permite-nos melhorar e identificar falhas em nós, nos outros e nos processos. Se possível intervir para melhorar, pelo menos é a nossa postura. Se pensam o mesmo ajudem-nos :)

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home