12.3.07

Aquel silencio reducido del eclipse.


A poesia nada pode contra a miséria dos homens. Por isso mesmo, em certos momentos os (neo-)realistas parecem românticos e os românticos são, muito mais autenticamente, (neo-)realistas.

3 Comments:

At 3:59 da tarde, Blogger Conceição Bernardino said...

Avancemos com o amor

avancemos com o amor
porque a partir de hoje
esquecemos tudo o que
nos soa a duvidoso
valor estendemos nas
mãos o tecido das nossas
trocas amor vem comigo
retomar o caminho em
que nos soltámos um dia
em passeios pela
alma

Poema da autora “Marita Ferreira” do livro “Múltiplos de ti”

Vale apena reflectir neste poema está cheio de verdade
Beijinhos
ConceiçãoB
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

 
At 10:56 da tarde, Blogger Luisa said...

Também tenho "ouvido" estas novas "teorias" sobre as afinidades entre o romantismo e o neo-realismo (ou realismo social) :-)
se o que partilham são a utopia e o homem, então talvez hajam outros ismos, até anteriores ao séc. 18/19 que também sejam afins.
Ou será

 
At 11:00 da tarde, Blogger Luisa said...

(desculpe pela interrupção... segue dentro de momentos:)

que são tentativas - bem intencionadas - de reabilitação de um movimento conotado tão negativamente?

(é só uma 'provocaçãozinha' :-) )

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home