25.3.07

Da rádio enquanto acupunctura

Há uns anos resolvi aceder a uma persistente sugestão da minha mãe para a prática da acupunctura. Lá ia, meio descrente, meio conformado, como quem entra em terra ignota e pensa: mal não há-de fazer. Despia-me, deitava-me na padiola, abria os poros às agulhas. Depois ficava por ali, na mais absoluta solidão, a inspirar incensos e a pensar na vida. Acontece que em vez de descontrair e de relaxar com a prática, punha-me a pensar em coisas inacreditáveis, como por exemplo: mas que raio estou eu para aqui a perder tempo com isto? Acabei por desistir da acupunctura e voltei a entregar a saúde à medicina do cigarro e da bela cervejola. Lembrei-me muito desta experiência ontem, enquanto participei num programa de rádio para o qual fui convidado. Entre a acupunctura e a rádio não descortinei grandes dissemelhanças, mas confesso que senti a falta das massagens da Cristina no final do programa.

3 Comments:

At 1:15 da tarde, Blogger etanol said...

Ouvi parte do programa e entendo-te!
Maria João

 
At 5:45 da tarde, Blogger Coisa said...

Eu ouvi o programa todo e, curiosamente, questionei-me várias vezes sobre em que estarias tu a pensar durante aquelas horas.
Seria sobre a ASAE?
Sobre o SIS?
Sobre o Mourinho?
Sobre o apoio da Cátia Guerreiro ao Cavaco?
Sobre a bela e o mestre?
Ou sobre a primeira vitória de Salazar, na também primeira votação a que foi submetido?

 
At 5:48 da tarde, Blogger hmbf said...

:) Etanol, até aposto que ouviste a parte em que eu falei. :)

:) Coisa, na verdade estava a pensar na sede que a ressaca da noite anterior me estava a provocar. :)

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home