24.8.07

VIVER

À medida que os anos vão passando, penso no que fica para trás como um lugar de paisagens difusas. Mas reparo também nos desleixos, na forma muito natural como fui perdendo o interesse por uma série de “coisas”. Só para dar alguns exemplos mais óbvios, verifico que praticamente deixei de comprar CDs, jornais não leio e já quase não vou ao cinema. Teatro nem se fala e exposições só muito, mesmo muito, de vez em quando, levado pelo acaso e sem qualquer intenção. Concertos? Só os do trabalho e alguns com um s no lugar do c da segunda sílaba. Concluo que a minha vida é uma sucessão de abandonos, e que cada vez gosto mais de viver.

6 Comments:

At 12:09 da tarde, Blogger manuel a. domingos said...

ó porra!
mas esse (também) sou eu!

 
At 5:29 da tarde, Blogger Vítor Leal Barros said...

eu não lhe chamaria 'abandonos' mas 'substituições'

essas antigas vontades foram necessariamente substituídas por outras, pelos vistos melhores, ou o gosto pela vida esmoreceria...

acrescento ´porra´ao manuel... mas esse (também) sou eu!

 
At 12:28 da tarde, Anonymous hmbf said...

obrigado a ambos pelos comentários. já podemos fazer um clube.

 
At 1:39 da tarde, Anonymous Eduardo Barrento said...

Juntem ai mais um! Confesso que, no início, sentia alguma amargura ao constatar esses "abandonos", mas lá fui percebendo que, se calhar, são mais "substituições"...

 
At 8:05 da tarde, Anonymous hmbf said...

mais ninguém para o clube. só homens?

 
At 1:16 da tarde, Blogger firmina12 said...

sinto-me inteira neste retrato

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home