4.11.08

Fragmento #67 – Ser mulher

Gostava de ser homem para distribuir piropos às mulheres, porque sendo mulher não posso andar por aí a dar piropos à vontade aos homens, a não ser aos meus amiguinhos gays, porque os homens no geral detestam ser tratados como donzelas. Gostava de ser homem para poder deixar crescer a barba, nesta altura do ano dava-me jeito; e não tinha o período todos os meses, fazia imensos filhos, mas não os criava, deixava essa tarefa para as mães, porque é natural. E se fosse homem sabendo o que sei sobre as mulheres? Sabia distinguir uma mulher de uma galinha, ou de uma porca e nunca a tratava mal; e de certeza que nunca iria coçar os tomates em público ou esquecer-me de fechar a tampa da sanita numa casa de banho, também frequentada pelo sexo feminino – bom, existem porcos e porcas que não puxam o autoclismo, mas esses animais não contam. Gostava de ser homem para poder fazer xixi à noite na rua, o que é uma grande porcaria; e podia sentar-me de perna aberta sem ter olhares esfomeados ou inquisidores à minha volta, ninguém dava por nada. Gostava de ser homem para poder andar com várias mulheres, sem ninguém me censurar, mas tratava-as todas bem. Assim como sou é impossível, sinto cada pessoa como única e uma só, apesar de compreender que existem muitas coisas que são comuns a todas as pessoas. Por exemplo, somos todos macacos, mas existem macacos e macacas; também existem galos e galinhas, mas esses animais não contam. Gostava de ver o mundo com os olhos de um homem, deve ser engraçado, um ecrã com imensos grandes planos de mamas e cus a passarem; o que se passa no interior de um cérebro masculino desperta-me enorme curiosidade, é um mistério que nunca consigo compreender. Gostava de ser homem para fazer sexo como se bebesse um copo de água fresca e o dia seguinte ser apenas um novo dia, como se nada tivesse acontecido. Neste ponto tenho muita inveja dos homens, já tentei, mas o dia seguinte é sempre mau. Gostava de ser homem para poder ser alguma coisa, porque os homens nascem e depois têm de se tornar em qualquer coisa se não, não são homens, agora eu quando nasci já era mulher.

Maria João

9 Comments:

At 2:03 da tarde, Blogger MJ said...

Há cidades cor de pérola onde as mulheres
existem velozmente. Onde
às vezes param, e são morosas
por dentro. Há cidades absolutas,
trabalhadas interiormente pelo pensamento
das mulheres.

Herberto Helder

tb eu nasci mulher e ainda bem porque assim, tenho um e outro mundo por descobrir.
belo o teu texto.

 
At 3:47 da tarde, Blogger R. said...

«Gostava de ser homem para poder ser alguma coisa, porque os homens nascem e depois têm de se tornar em qualquer coisa se não, não são homens, agora eu quando nasci já era mulher.»

Muito bom!

 
At 5:53 da tarde, Blogger np said...

Que homens tens conhecido Maria João? :)

 
At 8:35 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Olá Maria João,

nós as mulheres sabemos que está certo muito do que jocosamente descreves. Aproveito, se não te importas, para debitar a minha teoria pessoal sobre o assunto:as mães deles (dos homens, pois) também nasceram mulheres. Não são as próprias a potenciar e a apoiar (em alguns casos a exigir) estes comportamentos dos fihos homens? Mãe há só uma, as outras mulheres são descartáveis.................
Alguém os ensinou :)
Cumprir o destino divino de gerar um ser do sexo masculino deve ser qualquer coisa de extraordinário. Esta pode ser uma explicação.
beijinho
Sofia

 
At 11:17 da tarde, Blogger Vitor_Vicente said...

Maria João, e não será um fardo o facto de ser-se homem se "os homens nascem e depois têm de se tornar em qualquer coisa se não, não são homens"?

 
At 12:28 da manhã, Blogger etanol said...

mj: obrigada.

r.: pois, nascemos mulheres!

np: tenho conhecido homens muito engraçados:)

sofia: concordo, as mamas têm muitas responsabilidades!

mano vitor: claro que é um fardo e este texto é um bocado machista.

Maria João

 
At 9:50 da manhã, Blogger Luís said...

é curioso, como somos mesmo diferentes, homens, mulheres...

está tão patente no teu texto, Maria João...

é por que nos atraimos tanto.

(luis eme)

 
At 1:03 da tarde, Blogger etanol said...

Luís: é verdade, somos diferentes e por isso é engraçado.
Maria João

 
At 2:57 da tarde, Blogger Pedro Sena-Lino said...

Touché! Assim nós homens possamos perceber como reduzimos tudo à nossa significância. Parabéns, João!

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home