25.8.05

O TONEL DO ÓDIO

O Ódio é o tonel das brancas danaídes;
A Vingança febril, de braços rubros, fortes,
Tenta precipitar nessas trevas vazias
Grandes baldes com o sangue e as lágrimas dos mortos,

Em segredo o Diabo fura esses abismos
Por onde verteriam mil suores e esforços
Se o Ódio, ele mesmo, reanimasse as vítimas
E para as espremer ressuscitasse os corpos.

O Ódio é um bêbado numa taberna,
Que quanto mais bebeu mais sede ainda vai tendo,
Vendo-a multiplicar-se, qual hidra de Lerna.

- Mas, se o ébrio feliz conhece quem o vence,
A sorte lamentável o Ódio está votado:
A de nunca poder adormecer saciado.


Tradução de Fernando Pinto do Amaral.
Charles-Pierre Baudelaire 1821-1867

Charles Baudelaire nasceu no dia 9 de Abril de 1821 em Paris. Aos seis anos de idade perdeu o pai, vindo a sua mãe a casar pela segunda vez um ano depois. Em 1832 Baudelaire entrou para o colégio real de Lyon. Depois, em 1836, foi como interno para o Liceu de Louis-le-Grand, do qual viria a ser expulso por se ter recusado a denunciar um colega. Em 1839 o poeta inscreveu-se na faculdade de Direito, a qual nunca chegaria a frequentar regularmente. Adoptou uma vida boémia que o levou ao encontro de escritores mais velhos (Nerval, Balzac, etc) e teve uma ligação com uma jovem prostituta. A conselho da família, embarcou de Bordeaux rumo a Calcutá – viagem que se recusou a prosseguir. Aos 21 anos tomou posse da herança paterna e instalou-se na ilha St. Louis, onde manteve uma relação afectiva com a mulata Jeanne Duval. Começou a frequentar as reuniões do chamado Club des Haschischins, círculo que se dedicava aos prazeres do haxixe. Em 1845 começou a publicar os primeiros poemas e críticas de arte. Após conflitos familiares que o impedirão de movimentar o seu património, Baudelaire tentou suicidar-se. Foi chefe de redacção do jornal A Tribuna Nacional, traduziu poemas de Edgar Allan Poe, publicou poemas e ensaios. Em 1857 entregou a um editor o manuscrito de As Flores do Mal. A edição foi apreendida e seguiu-se um processo judicial contra o seu autor. Em 1860 começou a ter algumas perturbações cerebrais, provavelmente consequência da sífilis. Pensou novamente em suicidar-se. Em 1864, deprimido, debilitado fisicamente e moralmente abatido, mudou-se para a Bélgica. Um ano mais tarde, a sua saúde agravou-se gravemente: nevralgias, perturbações digestivas, mal-estar cerebral, etc. Em 1866, na sequêncioa de uma queda na igreja de St. Loup, surgiram os primeiros sinais claros de acidente vascular cerebral. Baudelaire morreu no dia 31 de Agosto de 1867.

1 Comments:

At 6:01 da manhã, Anonymous lurdes said...

muito bom o poema ,otimo que voce tenha pensado em dividi-lo,para mim poesia existe para ser disseminbada e vivida lurdes

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home