22.8.05

ALVO

Miro e disparo:
o alvo
o al
o a

centro exato dos círculos
concêntricos
branco do a
a branco
ponto
branco
atraindo todo o impacto

(Fixar o voo
da luz na
forma
firmar o canto
em preciso
silêncio

- confirmá-lo no centro
do silêncio.)

Miro e disparo:
o a
o al
o alvo.

Orides Fontela

Orides Fontela nasceu no dia 21 de Abril de 1940, em São João da Boa Vista, interior de São Paulo. Começou a escrever poemas muito cedo, tendo publicado os primeiros no jornal O Município, de São João da Boa Vista, em 1956. Nos anos 60, mudou-se para São Paulo e estudou filosofia na USP. Em 1967 teve dois poemas publicados no Suplemento Literário de O Estado de S. Paulo. Em 1969 foi publicado o seu primeiro livro: Transposição. Professora primária e bibliotecária, Orides viveu sempre em grandes dificuldades. Com os nervos permanentemente à flor da pele, de carácter complexo, provocou vários escândalos que acabaram por lançá-la na pobreza quase total. Recebeu o prémio Jabuti de Poesia, em 1983, pelo livro Alba, e o prémio da Associação Paulista de Críticos de Arte, em 1996, pelo livro Teia. Boémia e depressiva, várias vezes tentou o suicídio. Exageros que culminaram na morte precoce, aos 58 anos, num sanatório em Campos do Jordão. Orides Fontela morreu em Outubro de 1998, na mais completa miséria, mesmo sendo considerada um dos nomes mais importantes da poesia brasileira contemporânea. (apanhado de vários sítios)

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home