29.7.06

Optar pelo deserto

Quando vivi na cidade apercebi-me de que as pessoas, apesar de mais próximas no espaço, podem viver distantes no olhar. Mais grave é o facto de viverem amiúde com um olhar de fome, ganancioso, insuportavelmente irónico e prestidigitador. Para um simplório como eu nada há como poder falar sem muletas atrás das palavras, poder olhar nos olhos o que outros olham por cima do ombro e, no meu fado de hortênsia, ter vastos campos abertos onde possa passear-me desnudado sem que me apontem o dedo inquisidor da presunção. Talvez por isso tenha optado pelo deserto para viver.

1 Comments:

At 3:52 da tarde, Anonymous ip said...

Também sinto isso, dia após dia. Vivo numa cidade, trabalho noutra cidade ainda maior. E a hipocrisia, o cinismo, a 'máscara' cresce à medida de cada cidade. E, no final de contas, as pessoas andam tristes e perdidas. Venho de um paraíso, onde as pessoas são isso mesmo: pessoas. Sem artíficios. Quando a vida mo permitir, vou também eu refugiar-me no meu deserto. Este feito de montanha, ar puro e outras purezas. Obrigada pelo seu post.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home