16.11.06

Naquele tempo é que era bom:

Postcard
Eu não vivi no país com postcards de meninas deslavadas, carneiros surrados e mãos inchadas. Eu sou desse país de estrume, caldeiras velhas e elegantes parelhas de cornos.
Mulheres
Eu não vivi no país de mulheres sentadas em burras, pousando para a fotografia, em exposição na feira da aldeia. Eu sou desse país das feiras, fato domingueiro e burras cansadas.

Teatro

Eu não vivi no país em que as charruas serviam de palco para peças duvidosas e actores improváveis. Eu sou desse país subsidiado até nos pobres teatros e nas desgraçadas representações.

Carro

Eu não vivi nesse país em que as mulheres se reuniam para lavarem o único carro da aldeia. Eu sou desse país reunido em torno dos veículos do patronato, dando lustro à vocação de povo de limpezas.

2 Comments:

At 4:12 da tarde, Blogger Vera Cymbron said...

Agora também é bom, é preciso saber onde e quando...qualquer sitio pode ser o tempo bom.
Jinhos

 
At 3:28 da tarde, Blogger Rui Lage said...

Devo dizer que, enquanto leitor assíduo do INSÓNIA, este post é, para mim, o melhor que li do Henrique. Superaste-te, pá!

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home