13.3.07

A WHOLE LAKE OF SLEEPING CHILDREN


Calexico
Across The Wire

Não sejas pobre a pedir ao tédio, pede-lhe um novo reality show com gatas e cães a dormirem na mesma alcofa. Pede-lhe um dom sebastianista, prestamista, mestre no desfile dos slogans bronzeados. Pede-lhe uma gala e um galo e um aviário de pintainhos a piarem memórias de esquecimentos ocasionais. Pede-lhe um presidente, o maior de todos, o da sociedade civil global, a ser apedrejado nas auto-estradas da informação. Pede-lhe uma informação com limites de velocidade e testes de alcoolémia. Faz um teste de alcoolémia ao tédio e manda-o para o México pintar feridas com calos. Bebe chá. Se o tédio não te atender, então mergulha num lago cheio de crianças embaladas, fecha os olhos à tristeza que se abateu sobre os dias como uma chuva que cai e se infiltra pelos poros adentro. Há fotografias que respiram calafrios inofensivos, retratos do México, mortes coloridas. Não é muita a burocracia de sentir, apenas o estar atento e numa posição trabalhada à medida dos músculos. Se não entenderes as palavras aflitas das crianças, se o tédio não ter atender, segura a sombra do vento com as duas mãos e faz uma metáfora qualquer que te negoceie o desespero com a esperança. Tenta.

1 Comments:

At 10:49 da tarde, Anonymous Anónimo said...

por méxico:
juan rulfo "planície em chamas"

cj

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home