18.10.07

CONTEMPLANDO O MAR

Da Pedra Erguida, olhando pr’a leste,
Exploro o mar sem fim:
Fervilham as águas, sem parar;
Ilhas montanhosas, emergem,
Arvoredos espessos,
Luxuriante, a erva.
O vento do Outono sopra e assobia,
Vagas, imensas, se elevam no céu.
O sol e a lua, na sua viagem, parece
Que surgem do meio das ondas
E a Via Láctea, cintilante,
Como que vem do fundo do mar.

Que maravilha!
Canto-a
Nesta canção.

Cao Cao

Cáo Cāo nasceu em Qiao, China, em 155. Aclamado como estratego militar, foi político e poeta. Juntamente com os filhos Cao Pi e Cao Zhi, forma uma trindade que ficou conhecida como os Três Cao. Os seus poemas foram percursores do estilo jian’na, caracterizado, entre outros aspectos, pela lamentação da efemeridade da vida. Morreu de doença, em 220, no distrito de Luoyang, do qual foi capitão.

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home