25.11.05

Da educação dos mais grandes (sic)

Um aluno perguntou-me, muito admirado, por que motivo a Igreja Católica Apostólica Romana (o preciosismo é meu) proibiu a ordenação de homossexuais. Antes que eu lhe respondesse, ele disse-me logo: «Eu sei que o celibato não é a ausência de sexualidade, mas mesmo assim como é que se determina a sexualidade de alguém se não houver prática sexual?» Fiquei sem saber o que lhe dizer. Remeti-o para a página dos Suede, pedindo-lhe que dedicasse especial atenção à biografia de Brett Anderson.

1 Comments:

At 4:04 da manhã, Blogger soledade said...

Eu aconselhei-me com um especialista: falei com o prof de EMRC da minha escola: "Então o teu papa...?" Costumamos conversar sobre a Bíblia, ele foi agraciado e eu não, mas temos plataforma de conversa. Desta feita riu-se, mas ficou embaraçado. A campainha tocou, salvou-o do embaraço, e a clarificação do paradoxo ficou adiada. Porque para mim é um paradoxo, pois julgo que a orientação sexual se pode determinar sem a respectiva prática, já que o desejo se orienta naturalmente para o objecto em causa. Mas a piada da santidade não é o auto-controlo desse desejo? Olha como Sta Teresa de Ávila dizia que na Andaluzia os diabos eram mais agudos! Se é então suposto haver castidade, que importa a orientação sexual? Não estou a entender nada disto.
2ª feira o Sérgio há-de responder-me a isto. E aos mais sofismas que me ocorrerem :-)

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home