8.11.05

O QUE ME VALE

O que me vale aos fins de semana
é o teu amor provinciano e bom
para ele compro bombons
para ele compro bananas
para o teu amor teu amon
tu tankamon meu amor
para o teu amor tu te flamas
tu te frutti tu te inflamas
oh o teu amor não tem com
plicações viva aragon
morram as repartições

Pina

Manuel António Pina nasceu no Sabugal (Beira Alta), em 1943. Poeta e autor de livros infantis, é licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra. Desde 1971, é jornalista profissional no Jornal de Notícias (Porto), onde tem desempenhado funções de editor. Além do JN, tem ainda colaboração dispersa por outros órgãos de comunicação, entre imprensa escrita, rádio e televisão. Recebeu até hoje diversos prémios literários. Como poeta, a sua escrita revela um cariz simultaneamente sentido e reflexivo, de tom irónico e pendor filosofante, sendo-lhe por vezes apontada uma tendência nietzschiana para alcançar "uma segunda e mais perigosa inocência". O seu primeiro livro de poesia, Ainda Não é o Fim nem o Princípio do Mundo Calma é Apenas um Pouco Tarde, foi publicado em 1974. Em 2001 reuniu a sua poesia em Poesia Reunida, Assírio & Alvim.*

3 Comments:

At 5:26 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Escrevi este poema depois de visitar o poeta Manuel António Pina, na altura doente.
____________________________

CARTAS

(a M.A.P.)

«Os gatos acinzentados pelo crepúsculo ofereciam,entre cortinados,/aqueles olhos,viva porcelana,cegos de brilho.»/E assim,sei tudo isso,rabisquei na carteira de fósforos:/«cabeça de gato,benévola,a espiral que perfura o pêlo negro da nossa alma...»//(De sentimento imundo?)

José Emílio-Nelson

(In «A Alegria do Mal Obra PoéticaI 1979-2004)

 
At 7:06 da tarde, Anonymous hmbf said...

Li esse poema algures na página 176. :) E F.G., quem será? Fernando Guerreiro?

 
At 3:21 da tarde, Blogger je-n said...

Sim, Fernando Guerreiro.
JE-N

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home