29.12.05

TRINTA

Hoje aconteceu-me mais um cabelo branco
(não sei se tinhas dado com este:)
fica
mesmo ao lado da risca entre os
vinte e nove e
os trinta. O
dia de amanhã já existe ora
(a hora nas agendas)
lembra uma camisa limpa que
drapeja ao secar
(cada dia que me aceita
propõe
novo recomeço).
Todos temos uma alma gémea
frente ao espelho
tinha feito 15 anos
(hoje acatei outros quinze)
foi sempre no gesso da idade
que
assinei o poema.

João Luís Barreto Guimarães
João Luís Barreto Guimarães nasceu no Porto a 3 de Junho de 1967. Médico de profissão, estreou-se como escritor no ano de 1989 com o livro Há Violinos na Tribo, publicado em edição de autor. Seguiram-se os livros de poemas Rua Trinta e Um de Fevereiro (Limiar, 1991), Este Lado Para Cima (Limiar, 1994), Lugares Comuns (Mariposa Azual, 2000) e Rés-do-Chão (Gótica, 2003). Em 2001 reuniu os seus três primeiros livros sob o título 3, na editora Gótica. Vencedor de um prémio para jovens autores atribuído em 1992 pelo Centro de Informação das Nações Unidas, Casa de Imprensa e Sociedade Portuguesa de Autores, tem colaboração dispersa por várias revistas (Ler, Hífen, Relâmpago). Depois da aventura blogosférica inicial no extinto Quartzo, Feldspato & Mica, regressa agora a solo no Poesia & Lda.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home