5.2.06

Contagem decrescente

imagem respigada aqui

Se cabe ao poeta ou ao escultor criar um universo, cabe ao crítico criar um artista; dele também não existem, antes da empresa crítica, senão os elementos dispersos, os vários traços dos seus versos ou das suas estátuas; Fídias ou Milton só passam verdadeiramente a ser quando encontram Collignon e Macaulay; os Erasmos de dois autores diferentes são diferentes, como são diferentes as árvores de Cláudio Lorena e as árvores de Beruete; se quiséssemos entrar na carreira de colocar as artes em degraus poríamos o crítico no mais alto de todos: porque é a ele que compete a missão de criar o criador; tem, na arte, o trabalho que tomam para si o teólogo e o filósofo no mundo mais vasto do pensamento.
Agostinho da Silva
13 de Fevereiro de 1906
3 de Abril de 1994

2 Comments:

At 12:58 da manhã, Anonymous o coisinho da anaconda emplumada said...

as lagrimas so nao me brotaram quando ao explorar(com minucia apaixonada) os meses da minha ausencia deparei com uma referencia tua à dita porque o cinismo que e tao basilar neste pobre menino que sou me me fez(quando as ditas ja afloravam) tomar tal como eventual rejubilo...:)

 
At 9:31 da manhã, Anonymous hmbf said...

coisinho, volta. tu serás sempre bem vindo.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home