15.2.06

E agora?

Na sala dos trabalhos, com os computadores voltados para as paredes, elas ficam de costas voltadas para mim. Observo-lhes os ombros dependurados nas alças, tão frágeis e lisos. Desejo-lhes os braços, finos, à medida de uma fome insaciável. Depois deslizo os sonhos sobre o tronco e paro nas ancas, cinturas descaídas, fio dental à espreita. Quero-lhes as nádegas, as coxas, as pernas escondidas por trás dos trapos, escarpas abissais. Sei que esta vontade tão concreta e física é a metáfora possível de uma outra coisa: uma coisa que só sei quando a campainha nos chama para o intervalo. Metáfora de um intervalo de mim, o desejo acorda. E eu saio.

5 Comments:

At 6:41 da tarde, Blogger margarete said...

comecei o dia com essa questão.
ainda não encontrei resposta.
ainda.

 
At 11:36 da manhã, Blogger MC said...

:)

 
At 1:42 da manhã, Anonymous pim said...

:-
a
:- :-
pesquisa...
:- :-:-
a pesquisa deve
:- :- :-
orientar-se por
:- :- :- :- ;:_#2%%#$:-&%&/))99««'9:-3"#R"$!T#br:-th9
trimmmmmmmmmmmm
:\

 
At 10:14 da manhã, Anonymous hmbf said...

:)

 
At 12:52 da manhã, Anonymous pim said...

:

|_____tanga girl_____| .

Pesquisar sempre.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home