22.3.06

Bloco de apontamentos # 5

Na cidade maldita escrevi palavras de água; perdi as palavras que não aguentava ler; rasguei-as. Venho da muralha do centro estrada romana por baixo do arco porta; resta uma única porta sorte. Tu fora delas no centro também largo das portas da fonte; outras portas, outro centro em torno das minhas muralhas rodeando. Já não aguento as palavras a ressoarem na cabeça. A circularem. Rasgo o tempo silencioso onde não consegui usar as palavras.
Babilónia
MJLF, Babilónia, 1996
barro s/madeira, 80x75x15cm
Maria João

3 Comments:

At 4:07 da manhã, Blogger Silvia Chueire said...

Gosto muito. Do texto e da imagem.

Abraços,

Silvia

 
At 11:35 da manhã, Blogger hfm said...

Um belíssimo texto com um final soberbo!

 
At 7:35 da tarde, Blogger etanol said...

obrigada pelos comentários.
Maria João

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home