10.5.06

BATE, MAN!

Batman
Quando era pequeno o Batman era envergonhado e os colegas abusavam dele. Chegavam ao pé dele e diziam: bate-me uma!, e riam-se e liam um poema do Daniel Maia-Pinto Rodrigues sobre o John Batemuma ou lá quem era. Ele, como era um tipo normal, não gostava de ser humilhado, gozado, permanentemente abusado e jurou a si mesmo que um dia ainda haveria de fazer amor com um pinguim, deitado assim com a capa toda negra a descair para fora das suas costas e para cima da asa do pinguim. Claro que sofreu muito para lá chegar. Toda a gente sabe que a vida é um mar de escolhos e que o Pólo Nor…, Su…, enfim, o Pólo onde há pinguins ainda é longe para quem vai da américa e está habituado a um ambiente de fome, miséria e humilhações constantes (hum…). Batman não vacilou, porém. Chegado ao sítio dos pinguins, tratou rapidamente de se apaixonar pelo mais belo espécimen. No que foi correspondido. Depois voltou à américa, já de boda arranjada, e fez um filme sobre a vida de aventuras que teria levado se não se tivesse apaixonado e acometido de amor tão caseiro e eterno.

Rui Costa

3 Comments:

At 6:00 da tarde, Blogger etanol said...

Ó Costa, não sabia que o Batman tinha barriga.
Maria João

 
At 6:29 da tarde, Anonymous Anónimo said...

não sabes o que é que acontece aos super-heróis depois de casarem? eu também não
Rui Costa

 
At 8:36 da tarde, Blogger etanol said...

bebem muita cerveja.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home