22.6.06

(redução e fuga)

reduzir tudo
ao nada
ao sentir de
circulares ondas
de poesia
sendo a palavra
a fuga
à razão
à certeza
ao centro
que é periferia

manuel a. domingos

manuel a. domingos nasceu em Manteigas no ano de 1977. Licenciou-se em Professores do Ensino Básico, variante Português/Inglês, na Escola Superior de Educação da Guarda. Concluiu um Mestrado em Língua, Cultura Portuguesa e Didáctica, na Universidade da Beira Interior - Covilhã, com a tese Conta-Corrente: um diário - 1974/1980 (a perspectiva vergiliana do 25 de Abril e da Pós-revolução). Publicou Entre o Silêncio e o Fogo (poesia, 2002), pelo AQUILO Teatro da Guarda. Foi colaborador do DNJovem entre 2001 e 2005. É o autor dos blogs meia-noite todo o dia, versões e a ordem alfabética . É colaborador da revista Rodapé e do weblog Insónia.

9 Comments:

At 6:59 da tarde, Blogger etanol said...

Mais um insone, que maravilha, mais um na tribo. Gosto muito dos teus poemas.
Maria João

 
At 8:08 da tarde, Blogger manuel a. domingos said...

obrigado, maria joão.

 
At 10:34 da tarde, Anonymous Anónimo said...

parabens ao insónia por esta bela (e espero sem sono)aquisição.

gosto bastantes dos seus textos Manuel.
Aurora

 
At 11:36 da tarde, Blogger manuel a. domingos said...

obrigado, aurora.

 
At 11:39 da manhã, Blogger M said...

gosto muito, desde o primeiro poema.faz sentido ficar para antologia.parabéns.

 
At 2:21 da tarde, Blogger manuel a. domingos said...

obrigado, marta.

 
At 5:15 da tarde, Blogger etanol said...

Manuel, vejo que és bendito entre as mulheres aqui na Insónia.
Maria João

 
At 8:52 da tarde, Blogger ana salomé said...

também gostava de ter um:

«obrigado, ana»

por isso,e não só, a minha devida vénia.

 
At 10:00 da manhã, Blogger manuel a. domingos said...

obrigado, ana.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home