6.7.06

as mãos ardendo de sol
em gestos coados de luz
toda uma tarde sonora dentro
de nós – por inventar –
e o mundo inteiro parava num fino
e saliente socalco de tempo
dizias: silêncio
e a tua boca não se mexia
não se abriam os lábios
dizias: entra em mim
e por momentos
foi fogo a luz quieta dos dedos
escutando o que não acreditavas
desse mundo

Fernando Dinis

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home