27.10.06

A casa no tempo # 13

Para sempre
Fragmento # 12 - Para sempre
Maria João

3 Comments:

At 1:34 da manhã, Blogger Vítor Leal Barros said...

e de repente senti-me a asfixiar por uma dessas aortas...

ao ler 'para sempre' percebi que se realmente asfixiasse seria um acto irremediável e definitivo, com ou sem vida para além da morte...
seria 'para sempre' uma outra coisa, ou um nada diferente se preferires

 
At 6:04 da tarde, Blogger etanol said...

Não existe um nada diferente - existe apenas o nada que é um vazio ou silêncio que não conseguimos percepcionar enquanto estamos vivos. enquanto estamos vivos sentimos no silêncio o som da nossa respiração ou a pulsação cardiaca - para não falar no ruido do pensamento Quanto ao silêncio é algo que percepcionamos apenas por aproximação - ou será que é com a imaginação?
Maria João

 
At 10:21 da tarde, Blogger Vítor Leal Barros said...

eu apostava mais na segunda hipótese...só com a imaginação consegues percepcionar o silêncio em toda a sua amplitude...aliás essa amplitude é já um produto da nossa imaginação e varia de pessoa para pessoa...há, por isso, silêncios mais silêncios

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home