1.10.06

RECORDAÇÕES DE TRAMATAIA

Eu vi nascer as luas fictícias
Que fazem surgir no espaço a curva das marés.
Garças brancas voavam sobre os altos mangues de Tramataia.
Bandos de jandaias passavam sobre coqueiros doidos
De Tramataia.
E havia um desejo de gente na casa de farinha e nos mucambos vazios de Tramataia
Todavia, todavia!
Eu gostava de olhar as nuvens grandes, brancas e sólidas.
Eu tinha o encanto esportivo de nadar e de dormir.

Se eu morresse agora,
Se eu morresse precisamente
Neste momento,
Duas boas lembranças levaria:
A visão do mar do alto da Misericórdia de Olinda ao nascer do verão.
E a saudade de Josefa,
A pequena namorada do meu amigo de Tramataia.

Joaquim Cardozo

Joaquim Cardozo nasceu no Recife, a 26 de Janeiro de 1897. Na juventude participou das noitadas boémias recifenses, com figuras como o poeta Ascenso Ferreira e outros. Em 1934, foi um dos primeiros engenheiros calculistas da estrada Rio-Petrópolis. Em 1939 muda-se para o Rio de Janeiro, onde passa a integrar o grupo formado pelos intelectuais Manuel Bandeira, Pedro Nava, Augusto Meyer, Lúcio Costa e outros. Durante muitos anos, viveu entre as duas cidades: Rio e Recife. Entrou na literatura por influência de um irmão, que era poeta parnasiano. O seu primeiro poema modernista foi publicado pela imprensa em 1934, mas o primeiro livro - Poemas - foi editado em 1947, quando o poeta completava 50 anos de idade. Faleceu em Olinda em 4 de Novembro de 1978.

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home