27.6.07

ZÉ MANEL

Zé Manel não foi convidado para a festa. Ficou sentido. Diz-se que há dois tipos de homens, os que são convidados para as festas e os que não são. Eu acrescentaria os que se fazem convidados. Zé Manel não era destes. Não foi convidado. Ponto final. Mas como não compreendeu a falta do convite, logo se fez convidado, vicejando de rancor, apontando o dedo aos trajes afectuosos dos presentes. Zé Manel não tem culpa de ser um esquecido, mesmo quando as margaridas o lembram. Ama Sara, que não o quer. Lá vai aparecendo, escarninho, muito de quando em vez, para praticar na obscuridade o que o Cláudio Ramos pratica em tertúlia televisiva. Coitado de Zé Manel, tão só e abandonado, apenas na companhia do seu ressaibo, julgando-se excluído quando, afinal, ele é apenas a carne e o osso da insignificância. Só por isso ninguém se lembra dele, ainda que ele julgue o contrário.

2 Comments:

At 4:42 da tarde, Anonymous sissi said...

Coitado do Zé Manel...Mas quem é o Zé Manel?

 
At 4:50 da tarde, Anonymous Anónimo said...

É primo do Raskolnikoff.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home