20.9.07

Bloco de Apontamentos #57

MJLF, Maio, Acrílico s/papel, 21x15 cm, 2007.


Estava a trancar a porta de casa e caiu a chave do trabalho nos meus pés – notei então que o porta-chaves se tinha desapertado e que o volume do corpo metálico no molho estava mais magro, assim como o volume sonoro das chaves que batem sempre umas nas outras quando giram no gesto de fechar a porta antes de sair; espreitei para dentro da mala e lá tinha caído a chave de casa dos meus pais. Fechar a porta é um gesto diário onde ligo um piloto automático quando o faço e esta situação fez-me ver que carrego no dia-a-dia chaves a mais.

Maria João

5 Comments:

At 11:47 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Que metáfora tão linda. E nada estafada...

 
At 11:48 da manhã, Blogger manuel a. domingos said...

gostei muito do texto e muito do quadro

 
At 1:52 da tarde, Blogger etanol said...

Ando um bocado estafada, até deixo cair as chaves do trabalho aos pés, mas antes assim que desempregada, Ó anónimo!
Obrigada Manuel, eu gosto muito das tuas visitas.
Maria João

 
At 5:04 da tarde, Anonymous Anónimo said...

O manel constitui juntamente com a sua esfíngica figuras uma das avezinhas mais simplórias que por aqui ecoam. É, portanto natural, que aprecie os seus gargarejos.

 
At 11:07 da tarde, Blogger etanol said...

ò anónimo, já não é a primeira vez que me chamam esfingica, és cobarde e não dás a cara, mas estou-te a conhecer pelo gargarejo !
Maria João

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home