24.9.07

NA NOITE

Terás envelhecido, como eu, tua existência
será igual à minha, mais ou menos: monótonos
dias que vão passando bem lentamente, dias
em que nada acontece e é tudo igual pra nós.

Às vezes, porventura ainda lembres aquela
luz distante de Agosto que partilhamos. Talvez
sobre meu nome tenha crescido o esquecimento
e se apagasse em ti minha imagem para sempre.

Pergunto-me por vezes se em verdade fui jovem
e estive ali contigo, se existiu aquele Verão.
O sonho e a memória não são coisas diferentes:
não sei se te recordo ou se te estou sonhando.

O tempo debotou as certezas que tive.
A evidência de ontem com a idade esfuma-se.
Estou só. É de noite. Penso que minha vida,
minha própria vida, acaso, não aconteceu nunca.

Tradução de José Bento.

Eloy Sánchez Rosillo

Eloy Sánchez Rosillo nasceu em Múrcia, Espanha, no ano de 1948. Professor de literatura, deu-se a conhecer, como poeta, ao ganhar o Prémio Adonais, em 1977, com o livro Maneras de estar solo (1978). Além de poesia, publicou ensaios e traduziu Giacomo Leopardi. Colaborou com várias revistas literárias. O tradução que aqui publicamos saiu nos Cadernos Semestrais de Poesia – HÍFEN, n.º5, em Março de 1990.

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home