3.11.07

COTONETE

A maior parte da opinião publicada na blogolândia não me interessa. É opinião inconsequente e, por isso mesmo, desinteressante. Aliás, ao contrário do que talvez seja o mais comum, o que me interessou na blogolândia nunca foi a opinião. Tal como o que me interessava nos jornais não eram os artiguelhos opinativos. É claro que há sempre uma ou outra excepção, mas regra geral salto a página quando chego à opinião. Quatro anos nisto já deram para perceber o óbvio: a blogolândia é como o átrio da igreja onde a vizinhança se reúne esporadicamente, mete a conversa em dia, troca impressões sobre a vidinha, queixa-se das desgraças do mundo, volta para casa mais desafogado. Ora, do átrio da igreja eu só quero as vistas. Confesso: sou um voyeur inveterado. Ando para aí a mirar trajes, gestos, hábitos, gosto de observar os olhares entrechocando-se, fico à espera dos desastres nos cruzamentos, admiro o canto de algumas sereias e até não me desgostam os saltos altos de alguns pavões. Agora o que não suporto de todo é a fatuidade dos chincharavelhos, também conhecidos por chapins, mestres na prática da agiotagem. Sabem porquê? Porque quando o bico sangra já nada é com eles, fazem-se ingénuos, olham para o lado, fingem que não vêem e, de nabos na púcara, alegam presumíveis inocências. Gente assim não é de confiança, a gente assim não dou eu os meus ouvidos.

2 Comments:

At 12:35 da manhã, Blogger JPT said...

engraçado, eu átrio de igrejas conheço dos casamentos (alheios). Têm sempre ali à frente um bela tasca, imperial ou whisky matinal - passe a moda da matinee bodal. De que vistas fala Vossamecê?

 
At 1:22 da tarde, Anonymous hmbf said...

missa de
domingo.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home