4.11.07

SONGWRITERS

José Miguel Silva diz de sua justiça quanto a Bob Dylan, escritor de canções acerca do qual sempre muito mais se disse do que se ouviu. Já anteriormente assinei a minha declaração de amor, dizendo para onde me pende o coração em termos de songwriters norte-americanos. A Dylan prefiro Neil Young (nascido no Canadá), a Neil Young prefiro Tom Waits, a Tom Waits não prefiro nenhum. Quanto a Leonard Cohen (também canadiano), aguento-o apenas até Various Positions (1985). Mas há algo de comum a todos eles, entre os quais poderíamos colocar também Lou Reed, Tim Buckley, Scott Walker, entre outros: a inconstância. À excepção de Tom Waits e de Nick Drake (britânico), que passou pela Terra como um estrela cadente, todos os outros têm fases muito desiguais. Só os dois últimos são ou foram, no caso de Drake, sempre bons naquilo que fazem ou fizeram.
Já agora, ler também Dylan/Blanchett, por Sérgio Lavos, no Auto-retrato.

4 Comments:

At 9:08 da manhã, Blogger DL said...

É difícil ouvir tudo do Dylan, mesmo que se procure, pelo simples efeito dissuasor do volume do que ele gravou. Depois, há as fases, e quem gosta de uma é capaz de não gostar das outras. Dos que mencionas, só conheço razoavelmente Dylan e Cohen, e não vejo nenhuns pontos de contacto entre eles para além da acuidade incomum com que olham para o mundo.

 
At 2:54 da tarde, Anonymous hmbf said...

Dylan e Cohen, alguns pontos em comum além do mencionado: ambos de ascendência judaica, em termos musicais começam as carreiras no seio do movimento folk, cedem mais tarde aos apelos da musica pop, o tom confessional da maioria das composições, a inquietude espiritual (Dylan abraça o cristianismo, ouça-se o álbum “Saved” de 1980; Cohen abraça o budismo).

 
At 3:25 da tarde, Blogger DL said...

Não sabia da ascendência de Dylan. Quanto ao resto, lá está, o Dylan que me interessa é o dos primeiros tempos, cheio de sermões para dar, geralmente não confessional, e o folk dele é muito diferente do do Cohen antigo de Marianne e de Suzanne. Quando digo conhecer razoavelmente o Dylan, refiro-me a essa fase inicial; fui apanhado pelo que disse no comentário anterior. Não conheço o "saved". É impossível conhecê-lo bem, o homem escreveu demais, passava o tempo à máquina de escrever, mesmo em noitadas com amigos.

 
At 3:54 da tarde, Blogger hmbf said...

Sim, o Dylan inicial também é aquele que eu aprecio. O de canções como "Blowin' in the Wind", "Masters of War", "The Times They Are A-Changin", "Like a Rolling Stone"... E não tenho dúvidas de que terá sido um autor influente na carreira musical de Cohen que, como saberás, começou por ser escritor.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home