27.12.07

NA MORTE DE BENAZIR

Benazir Bhutto foi hoje assassinada, supostamente por fundamentalistas islâmicos. Isto deve fazer-nos pensar, após percurso tão ambivalente, no principal cancro da democracia (ou, se quiserem, dos regimes que se dizem democráticos). É costume ouvir-se dizer, provavelmente com razão, que a democracia é o pior dos sistemas depois de todos os outros. O que temos hoje no mundo é uma desacreditação da democracia enquanto sistema político, motivada por sucessivos casos de corrupção, relações promíscuas entre os poderes económico e político, conluios, manigâncias, jogos de poder que têm em vista, única e exclusivamente, o benefício de quem chega ao poder e de quem está com os que chegam ao poder (sejam eles quem forem). A grande maioria das populações, vítima consecutiva dos enganos do regime, volta-se, assim, para as respostas mais fáceis, óbvias e imediatas à situação calustrofóbica em que vai sobrevivendo. É fácil perceber quais são essas respostas. Na verdade, mesmo a maioria dos países que se afirmam enquanto "democracias consolidadas" não vivem em democracia senão nesse aspecto residual do debate político. O problema é que esse debate efectua-se, quase sempre, sob a ameaça dos interesses privados e obscuros de uma minoria. A democracia, creio, não se resume a eleições de tantos em tantos anos, uma imprensa livre (resta saber de quê e de quem?), liberdade de expressão. Tudo isso é muito importante, mas não mata a fome a ninguém.

6 Comments:

At 4:45 da tarde, Blogger manuel a. domingos said...

apesar de ser o pior sitema a seguir aos outros todos, não o trovava, neste momento, por nada

 
At 4:46 da tarde, Blogger manuel a. domingos said...

trocava (embora o trovava não fica mal de todo)

 
At 9:33 da tarde, Anonymous Foscam said...

Trovava fica mesmo muito bem.
E o trocava também não está mal.Ou seja, não troquemos a democracia por nenhum outro regime, mesmo por um desses que nos diz que os amanhãs deles cantam.
E então, com a justa galhardia,trovemos, trovemos até a democracia ser mesmo real e não apenas, como a nossa, aproximativa e virtual.

 
At 11:18 da tarde, Blogger hmbf said...

eu torcava-o por um monte no alentejo, onde pudesse, descansadamente, fazer vinho, criar galinhas e viver do ar.

 
At 11:31 da manhã, Blogger JMS said...

Bom post, Henrique. E se a democracia não conquista as boas graças da generalidade do mundo muçulmano, isso deve-se também ao mau exemplo que os países ocidentais (ou pelo menos UK e USa) lhes dão, com as suas políticas neocoloniais e de corrupção activa das elites autocráticas. Se eu fosse angolano e visse a popularidade de J. E. Santos entre os virtuosos democratas ocidentais, é provável que perdesse alguma esperança no potencial emancipador da democracia.

 
At 11:37 da manhã, Blogger JMS said...

E o resultado dessa democorrupcia generalizada é, como bem sugeres, os eleitores começarem a ver nos partidos religiosos uma alternativa... De facto, se a democracia só lhes oferece fome e bombas...

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home