18.3.08

ESTA DEMOCRACIA DE PAPEL

In Daedalus:
Daniel Oliveira, no Expresso, chamou «palhaço» a Alberto João Jardim*. O jornalista foi condenado a pagar dois mil euros a Jardim por difamação. O presidente do Governo Regional da Madeira não se coíbe de dizer o que pensa dos jornalistas do continente: são uns «bastardos». Edite Estrela é uma «delinquente» e José Sócrates uma «barata mentirosa». Eu podia continuar mas acho que vocês já perceberam. Alberto João Jardim nunca foi julgado por difamação, a imunidade que o cargo lhe confere é deliciosa, conveniente. Eu acho que é obscena. Enfim, quando alguém que passa a vida a insultar os outros acaba por ganhar um processo de difamação em tribunal cai a máscara da decência à democracia mexicana, de plástico, que os «pais da liberdade» nos legaram.
*Se eu tivesse dois mil euros para malbaratar, escrevia aqui que o epíteto dispensado a Jardim lhe assenta na perfeição. Como não tenho, não escrevo nada.


Subscrevo integralmente as palavras de Francisco Curate e faço uma proposta: contribuirmos todos com moedinhas de 1 cêntimo para que o Daniel Oliveira possa pagar os 2000 euros num saco com moedinhas de 1 cêntimo a sua excelência o reverendíssimo e magnificente presidente do Governo Regional da Madeira. É quanto ele vale: um cêntimo de todos nós. E parabéns, mais uma vez, à democracia portuguesa.

3 Comments:

At 11:53 da tarde, Blogger intruso said...

(uma democracia de papel,
num país onde chove todos os dias)
:(


abraço

 
At 11:06 da tarde, Blogger Francisco Curate said...

Acho que gastar um cêntimo com o AJJ já é um abuso :)

Espero não ter feito muito mal em ter citado o teu livro "Estórias domésticas" numa crónica de política local :)))

abraço

 
At 12:33 da tarde, Blogger Joana Oliveira said...

Que interessante. Pareces-me de esquerda...

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home