13.3.08

INSÓNIA


Saio a caminhar pelas noites
quando os camiões vão de regresso
e a minha sombra cai na cama,
abro a porta com cuidado sem fazer barulho,
dou duas voltas à maçã para distrair-me,
nunca me detiveram com perguntas,
nem a polícia,
nem um bêbado;
posto que me viram,
a cena é inóspita,
optam por deixar-me ir em paz envolto em silêncio
escutando os demais a descansarem,
sentindo que os seus sonhos os levam de mão dada,
enquanto eu não tenho a paz suficiente
para suportar ficar num quarto sem poder dormir.

Versão de HMBF.

Arturo Accio

Arturo Accio nasceu em Guadalajara, México, a 27 de Outubro 1975. Estudou contabilidade e música. Conselheiro editorial da revista Papalotzi, começou a publicar poesia em 2000, com Poesías Negras. Tem colaborado com várias revistas e está representado em algumas antologias. A versão original do poema que aqui publicamos encontra-se no n.º 4 da revista Big Ode.

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home