27.5.08

PLÁGIO À MODA DO ACORDO

O plágio é uma arte antiga e, em certos casos, apreciável. Mais recentemente, transformou-se numa actividade irresistível. Mas quase sempre depreciável. Tenho sido vítima de plágios. Quando são óbvios, denuncio-os. Acabei de descobrir mais um texto meu plagiado e mudado para português do Brasil. Está num weblog intitulado Resquícios iê-iê-ié: Station 7. O original foi publicado no Insónia a 12 do 12 de 2006. A versão brasileira a 15 do 10 de 2007. Deixo algumas das alterações, por me parecerem caricatas e, quem sabe, motivo de riso neste mundo incontrolável chamado Internet:

Original:
Pessoas amigas, preocupadas com a minha saúde, tentam convencer-me de que o número sete é mais importante que os outros.
Versão brasileira:
Pessoas amigas, preocupadas com o meu psico, tentam convencer-me de que o número sete é mais importante que os outros.

Original:
Dizem-me que sete são os dias da semana, os planetas, os graus de perfeição, as cores do arco-íris, os raios do raio do Sol hindu, etc.
Versão brasileira:
Dizem-me que sete são os dias da semana, os planetas, os graus de perfeição, as cores do arco-íris, os raios do raio do Sol hindu e mimimi, e também não é atoa que é meu numero da sorte, mais isso não importa e nem vem ao caso agora

Original:
A porca torce o rabo, e a gente troça com a porca, quando as pessoas que pensam estas coisas olham para as Pirâmides na actualidade e não conseguem ver nada de maravilhoso, sentindo então uma enorme frustração.
Versão brasileira:
A porca torce o rabo, e a gente troça com a porca, quando as pessoas que pensam estas coisas olham para as Pirâmides na atualidade e não conseguem ver nada de maravilhoso, sentindo então uma enorme frustração, como sinto-o.

Original:
…o Alhambra, em Granada, ainda mantém uma certa mística, assim tipo a mística benfiquista ou sebastianista ou coisa que o valha; o Coliseu de Roma só lembra coisas tristes…
Versão brasileira:
…o Alhambra, em Granada, ainda mantém uma certa mística, assim tipo a mística benfiquista ou sebastianista ou qualquer cousa que o valha ; o Coliseu de Roma só lembra coisas e mais cousas tristes…

Original:
Talvez o Machu Picchu seja mais agradável, mas dizem-me pessoas muito próximas que já lá estiveram que a única excelência da coisa é mesmo o local onde a coisa foi erguida.
Versão brasileira:
Talvez o Machu Picchu seja mais agradável, mas dizem-me que a unica excelência da cousa lá é mesmo o local onde foi erguida.

Original:
É bom que preservemos isso, sobretudo evitando ao máximo o turismo nesses locais, dificultando ao máximo o acesso humano a esses locais.
Versão brasileira:
É bom que preservemos isso, mas pelo o que vejo, o homem se mete em tudo, mesmo, e talvez daqui um tempo estas cousas que nos restam não continuem mais sendo aqueles tais cenários idílicos e lindos de morrer.

2 Comments:

At 2:21 da manhã, Blogger loucomotiva said...

Acho impressionante que os plagiadores percam tempo a traduzir e a retocar a cópia! Que perda de tempo.

Jorge

 
At 6:34 da manhã, Blogger hmbf said...

Eu também, mas gostei do "meu psico".

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home