4.10.08

O PREÇO A PAGAR

Uma vida à margem do mundo dos «letrados», fazendo da resistência o único campo de honra possível, tem o preço do ostracismo, do exílio e do isolamento, da solidão. Há sempre alternativas. De Séneca a Heinrich von Kleist, deste aos dias de hoje, são tantas que é impossível enumerar todas. Antero de Quental nasceu em Ponta Delgada a 18 de Abril de 1842. No dia 11 de Setembro de 1891 suicidou-se com um tiro na cabeça, disparado num banco de jardim. Emilio Salgari nasceu em Verona a 21 de Agosto de 1862. Depois de ter perdido a esposa, decidiu acabar com a sua vida, no alto do Vale de San Martino, cometendo harakiri. Foi a 25 de Abril de 1911. Manuel Laranjeira nasceu em São Martinho de Mozelos, Santa Maria da Feira, a 17 de Agosto de 1877. No final da tarde do dia 22 de Fevereiro de 1912, acamado, deprimido e desesperado com uma sífilis nervosa, suicidou-se com um tiro na cabeça. No dia 29 de Janeiro de 1933 Sara Teasdale, nascida a 8 de Agosto de 1884, tomou uma dose fatal de comprimidos para dormir. O seu amigo e poeta Vachel Lindsay, por quem Sara estava apaixonada, suicidara-se dois anos antes. Mário de Sá-Carneiro, nome maior do modernismo português, nasceu em Lisboa no dia 19 de Maio de 1890. A 26 de Abril de 1916, num hotel do bairro de Montmartre em Paris, tomou cinco frascos de arseniato de estricnina e morreu. A poeta Marina Tsvetaeva nasceu em Moscovo em 1892 e enforcou-se no dia 31 de Agosto de 1941. Vladimir Mayakovsky, poeta e dramaturgo russo nascido em 1893, faleceu a 14 de Abril de 1930, vítima de uma bala que disparou contra si próprio. O poeta Sergei Yesenin nasceu russo a 3 de Outubro de 1895. Morreu no dia 27 de Dezembro de 1925, em Leninegrado, depois de se ter enforcado. Tinha 30 anos mal feitos. Hart Crane nasceu nos EUA a 21 de Julho de 1899. Depois de ter sido agredido devido a uma suposta tentativa de sedução de um membro da tripulação do navio onde seguia viagem, atirou-se para o Golfo do México no dia 27 de Abril de 1932. O seu corpo nunca foi encontrado. Ernest Hemingway nasceu em Oak Park, Illinois, a 21 de Julho 1899. Aos 61 anos e muito doente, Hemingway seguiu o exemplo do pai e matou-se com uma caçadeira. O escritor hungaro Arthur Koestler nasceu a 5 de Setembro de 1905 em Budapeste. No dia 3 de Março de 1983, a sofrer de leucemia e doença de Parkinson, matou-se juntamente com a sua mulher Cynthia ingerindo uma sobredose de medicamentos. O escritor italiano Cesare Pavese nasceu a 9 de Setembro de1908. No dia 27 de Agosto de 1950 matou-se num quarto de hotel em Turim. Antonia Pozzi nasceu em Milão a 13 de Fevereiro de 1912. Suicidou-se na mesma cidade, a 3 de Dezembro de 1938, quando a guerra assolava toda a Europa. Não é certo que o escritor norte-americano Randall Jarrell, nascido a 6 de Maio de 1914, se tenha suicidado. Sabe-se apenas que morreu atropelado por um camião no dia 14 de Outubro de 1965. Pouco tempo antes tinha estado em tratamento devido a uma tentativa de suicídio falhada. O poeta John Berryman, nascido a 25 de Outubro de 1914, também seguiu o exemplo do pai e suicidou-se, a 7 de Janeiro de 1972, atirando-se da Washington Avenue Bridge, em Minneapolis, Minnesota. Unica Zürn, autora de pequenas histórias e pintora alemã, nasceu no dia 6 de Julho de 1916. Em 1970 saltou da janela do apartamento que partilhava, em Paris, com Hans Bellmer. Paul Celan nasceu no dia 23 de Novembro de1920 em Czernowitz (Roménia). Suicidou-se no rio Sena, provavelmente a 20 de Abril de 1970. Maria Ângela Alvim nasceu no dia 1 de Janeiro de 1926 na fazenda do Pouso Alegre, município de Volta Grande, no Estado de Minas Gerais. Afectada por uma doença nervosa, pôs fim à vida no dia 19 de Outubro de 1959. Anne Sexton nasceu a 9 de Novembro de 1928, em Newton, Massachusetts. No dia 4 de Outubro de 1974 fechou-se na garagem de casa, ligou o motor do carro e deixou-se asfixiar pelo monóxido de carbono. O catalão José Agustín Goytisolo nasceu em Barcelona no ano de 1928. Suicidou-se no dia 19 de Março de 1999 atirando-se da varanda da sua casa. Sylvia Plath suicidou-se com gás quando tinha 30 anos de idade. Nasceu em Massachusetts, a 27 de Outubro de 1932. Alejandra Pizarnik nasceu em Buenos Aires, a 29 de Abril 1936. Suicidou-se com 50 pastilhas de seconal sódico a 25 de Setembro de 1972. Tinha 36 anos de idade. Luis Hernández Camarero, médico e poeta peruano nascido a 18 de Dezembro de 1941, suicidou-se em Buenos Aires no ano de 1977. Eduardo Guerra Carneiro nasceu em Chaves no ano de 1942. Suicidou-se, na noite de 1 para 2 de Janeiro de 2004, tendo o seu corpo sido encontrado no pátio do prédio do Bairro Alto onde morava sozinho. Ana Cristina Cesar nasceu no Rio de Janeiro a 2 de Junho de 1952. Suicidou-se, atirando-se do apartamento dos pais, a 29 de Outubro de 1983. Pedro Casariego Córdoba, poeta e pintor espanhol nascido em Madrid no ano de 1955, atirou-se para debaixo de um comboio, na estação de Aravaca, dois dias depois de ter oferecido à sua filha um conto ilustrado com o qual deu por concluida a sua obra gráfica e escrita. David Foster Wallace nasceu no dia 21 de Fevereiro de 1962. Ter-se-á suicidado no passado dia 12 de Setembro. Sofria de depressão.

8 Comments:

At 11:24 da manhã, Blogger blue said...

uma lista impressionante.
e a lista dos que se mantiveram vivos?

 
At 12:50 da tarde, Blogger hmbf said...

A Blue deixou-se deslumbrar pelo inventário e esqueceu o início do post: "Uma vida à margem do mundo dos «letrados», fazendo da resistência o único campo de honra possível, tem o preço do ostracismo, do exílio e do isolamento, da solidão. Há sempre alternativas." Os da lista são apenas alguns exemplos de alternativas ao ostracismo, ao exílio, ao isolamento e à solidão que atingem aqueles que optam por uma vida à margem do mundo dos letrados. :)

 
At 1:24 da tarde, Anonymous Silvia said...

Não tinha conhecimento de tantos que decidiram esse fim,sem contar alguns músicos que também deixaram o mundo desta maneira,uma pena,gosto muito de Vladimir Mayakovsky,Sylvia,Anne,Mario,a pior das solidões é quando há ausência de nós mesmos.
Abraço

 
At 11:04 da tarde, Blogger manuel a. domingos said...

Stig Dagerman, Camilo Castelo Branco, Yukio Mishima, Stefan Zweig, Guy de Maupassant, Mário Eloy, Virginia Woolf, Florbela Espanca, Yasunari Kawabata, Sarah Kane, Gérard de Nerval, Sándor Márai, Jan Potocki, Hunter S. Thompson...

 
At 11:08 da tarde, Blogger manuel a. domingos said...

agora reparo que o Mário Eloy não devia fazer parte desta lista, pois não é escritor...

 
At 1:34 da tarde, Blogger blue said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At 1:40 da tarde, Blogger blue said...

é que o inventário impressiona mesmo. conhecêmo-los a todos, ou quase, uns fazem-nos mais ou menos falta, custa sempre pensar que aqueles a quem tanto queremos não sentiram ter outra alternativa no momento em que terminaram com a sua vida.

há, porém, nas vidas à margem, que fazem da resistência o único campo de honra possível, um travo libertário que não tem preço - ou seja, ainda que as consequências possam passar pelo ostracismo e o exílio e, até, pela morte, isso será sempre menor que a subserviência, a vénia que parecem implícitas ao mundo dos "letrados" de que falas.

quanto ao isolamento, à solidão, são a condição de quem vive um processo criativo, independentemente de uma metodologia mais ou menos aberta ao exterior, independentemente de uma maior ou menor inserção "no meio"... e aí, o tal sentido de liberdade absoluta exerce-se em absoluto e é, provavelmente, a única recompensa garantida.

um abraço :)

 
At 10:24 da tarde, Blogger hmbf said...

Manuel, obrigado pelas adendas.

Comentário eliminado, obrigado por teres removido a mensagem.

Blue, a mim já não me impressiona. Angustia..

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home