15.3.06

Ele leva a cidade para casa.
Entra na sala e aí permanece
como se estivesse no meio de uma praça.
Nem o rumor frágil
nem a essência imperdoável
o fazem desistir do falso cenário.
Evita os objectos amados
e sobre a sua cidade se movimenta
tão subtil e intermitente
recolhendo no corpo os sinais
de uma cumplicidade insubmissa.

Fernando Esteves Pinto

Fernando Esteves Pinto nasceu em Cascais em 1961. Vive em Olhão desde os 20 anos. Colaborou no "DN Jovem" e no "Jornal de Letras". Em 1990 recebeu o Prémio Inasset Revelação de Poesia do Centro Nacional de Cultura. É publicado em Espanha por revistas literárias e editores independentes. Em 1998 obteve uma bolsa de criação literária pelo Ministério da Cultura / Instituto Português do Livro e das Bibliotecas. Publicou Na Escrita e No Rosto, Siete Planos Coreográficos (edição bilingue, Huelva), Ensaio Entre Portas, Conversas Terminais (2000) e Sexo entre mentiras (2005). É autor do weblog Escrita Ibérica. »

3 Comments:

At 12:39 da tarde, Anonymous Anónimo said...

olá . respondendo ao teu comentario eu nasci em s.domingos de rana ,cascais e depois ainda fui morar para sintra e com 7 anos vim morar no algarve e moro entre faro e olhão. não sei escrever ,so escrevo o k me vêm á cabeça. bjo. carla granja.

 
At 8:47 da tarde, Blogger fatimaaugusto said...

ola tio fernando ou primo como queras pois o orgulho e o mesmo es demais a escrever so espero ter acesso a mais
Beijos
Fatima Augusto

 
At 6:20 da manhã, Anonymous Anónimo said...

tem algumas coisas boas na poesia este esteves pinto. tentou escrever romances mas mt inconsistentes

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home