27.5.06

Cantigas da Rússia

in Bicicleta dos dias ímpares.

Na íntegra:

Cantigas da Rússia
Não falam verdade
E as amaricanas
São puvlicidade.

Estes portugueses
Parecem sueses
Mas têm balor
Cabeças tramoucas
Bão de vouca em vouca
Espalhando amor.

As cantigas populares
Ao passar
Iam indo pró maneta
Do planeta
E os retrofoguetões
Espalhando corações
Fazem do medo
Uma treta.

Letra de Fernando Assis Pacheco, data desconhecida. Escrito a seguir à “Cornélia”, para um grupo da zona de Aveiro que a terá cantado na RTP. Transcrito de memória por Rita Assis Pacheco, a 25 de Maio de 2006.

2 Comments:

At 12:56 da manhã, Blogger Rui Pedro said...

O Fernando Assis Pacheco frequentava um barzinho ao cimo da Rua de Santo António à Estrela, a Campo de Ourique em Lisboa. Lembro-me de uma vez ele ter contado umas aventuras que tinha tido nuns táxis no Rio de Janeiro e, depois de ter saído do bar (já bem bebido), ter voltado atrás para confirmar as contas. O barman devolveu-lhe algum dinheiro, com um sorriso meio comprometido. Isto não vem nada a propósito.

 
At 8:42 da tarde, Anonymous hmbf said...

bela nota.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home