12.6.06

POP MUSIC

Goldfrapp

O que distingue as canções pop das outras é o facto de serem assobiáveis. Há melodias que entranham-se-nos de tal forma na cabeça que é impossível passar-lhes indiferente. Perseguem-nos como sombras, mais ou menos nítidas, dos ritmos que trazemos dentro. Há melodias que são a sombra dos ritmos que trazemos dentro. São uma espécie de sangue a invadir-nos, o ar que nos insufla o pulmão. Cadenciam-nos os nervos, espalham-se-nos pela pele, pelos músculos, fazem-nos andar de uma certa maneira. Há melodias que são uma espécie de cheiro, penetram-nos involuntariamente. Chegam-nos ao cérebro como uma nuvem de cifradas emoções. E depois andam por ali, entre o cérebro e o coração, a ludibriarem-nos o sentir do mundo. Há melodias que nos intoxicam para se transformarem numa espécie de cura dos males que as próprias disseminam.

3 Comments:

At 8:13 da tarde, Blogger manuel a. domingos said...

o felt mountain é sem dúvida o melhor dos goldfrapp; no entanto também gosto dos posteriores, principalmente do Black Cherry.

gostei da imagem «preferir o ópio à cocaína», que é uma boa maneira de os caracterizar.

abraço

 
At 11:01 da manhã, Blogger violeta13 said...

não imaginas como entendo o que aqui escreves sobre a forma como a música se entranha em nós, como se passasse a fazer parte do nosso fluxo sanguíneo, como se comandasse a cadência dos nossos passos nos passeios e o travelling do nosso olhar sobre o mundo. Felt Mountain é um dos "meus" discos e esta lovely head uma melodia que apunhala os meus sentidos.

 
At 4:14 da tarde, Anonymous O COISINHO DA ANACONDA EMPLUMADA said...

EN CHAN TE!poucos tem visual tao excelente quanto a musica(marilyn manson(sic)bjork sigur ros...

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home