13.6.06

Do riso

Tenho um péssimo sentido de humor. No entanto, mais facilmente rio que choro. Raramente choro a rir. Mas quase nunca choro, tornando-se por vezes angustiante esse bloqueio. A verdade é que nunca tive jeito para o humor. Suponho que para ter humor seja necessário saber chorar, estar suficientemente bem com a vida, para que uma certa visão do mundo possa emergir do caudal de angústias, dramas e tragédias que preenchem qualquer ser humano. Eu acredito mesmo que a personalidade humana resulta basicamente das frustrações e do modo de lidar com elas. Faço parte daquele insuportável grupo de pessoas que tem uma tendência estúpida para levar a sério tudo o que ouvem. Devido a tal, às vezes passo por ingénuo, na melhor das hipóteses, outras vezes pareço arrogante, na pior das hipóteses. Até o humor eu levo a sério. Estou sempre a tentar perceber o sentido das piadas, como se fosse obrigatório as piadas terem algum sentido. Não consigo entusiasmar-me com as piadas sem sentido. Acho-as sem piada. São graçolas. Contudo, o meu maior drama não é esse. Vivo, neste momento, num país de humoristas, de sátiros, de cínicos, de irónicos. Alguns bastante bons. Outros apenas um reflexo dúbio das asneiras que berram, ou seja, uma desgraça (no sentido de sem graça). Este estado de euforia colectiva, obrigando a tudo o que seja dito um estilo, ou espírito, gracejante, deixa-me numa situação incómoda: ou entro no esquema e rio, ou continuo eu mesmo (sorumbático, sério, grave, correndo o risco de me transformar num desagradável misantropo). É que o meu real problema, aquele que está por resolver há muito, é não saber chorar. Desejo profunda e ansiosamente algo ou alguém que me faça chorar com a facilidade com que alguns fazem rir as pessoas à minha volta. Só depois de me fazerem chorar assim, eu sei que não pararei de rir.

Respigado do baú do esquecimento, com algumas alterações.

4 Comments:

At 3:23 da tarde, Blogger palmira8 said...

Fico triste por si: não há nada como rir e ou chorar

 
At 4:25 da tarde, Anonymous hmbf said...

Querida palmira8, os meus problemas não são razão para tristezas. :)

 
At 12:17 da tarde, Blogger amok_she said...

...esta 'sacra' mania q a generalidade das pessoas sente (e aquele 'generalidade' foi mesmo pra fugir ao q me apetecia dizer: toda a gente!?!, adiante...)ia eu a dizer, mas depois decidi perguntar: porque raio será q as pessoas sentem esta necessidade de emitir, sempre, uma opinião (abalizada claro!) sobre tudo?!...e, por vezes para piorar, juntam, à opinião, os (pseudo) sentimentos, as (pseudo)emoções, os (pseudo)lamentos, as vénias(não!, aqui não há mesmo pseudos!)entre outras baboseiras...e, depois pra culminar, lá rematam com as frases feitas:«não há nada como rir e ou chorar»

...apetecia-me dizer q há tantas, mas tantas, outras coisas tão boas (ou melhores!) q rir e/ou chorar... só por si!, mas... últimamente ando tentada a entrar na carneirada!

 
At 4:04 da tarde, Anonymous O COISINHO DA ANACONDA EMPLUMADA said...

muito bom.
contudo o teu humor e do melhor que ja vi.
sou fa de piadas sem sentido(talvez o que mais me fez rir foi o fado que abre o samba roullote dos cebola mol-(deradeiro dadaismoo!)o melhor abum da historia do mundo!!!).

p.s voltem as matildoscas por exemplo!!

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home