27.6.06

PROTESTO

São como flores fanadas os fúteis alfarrábios,
estagnados e doentios como a água adormecida,
do senhor dom artista que não quis colar os lábios
contra os seios da vida.

O homem que vende livros na velha padiola
expõe o romance da sua vida nessa espécie de montra
e grita contra os romances onde a vida estiola
em maciezas de lontra.

E em todos os cantos e recantos da rua
gritam contra os versos mornos, versos mansos, versos falsos,
as mulheres bem vestidas que ganham a vida nuas
e os garotos descalços.

Sidónio Muralha

Sidónio Muralha nasceu em Lisboa a 29 de Julho de 1920. Integrado no movimento neo-realista, estreou-se com Beco, colectânea de poemas publicada em 1941. Perseguido pela ditadura, partiu para o Congo Belga, acabando por fixar residência, já na década de 1960, no Brasil. Escreveu contos, novelas, poemas, dedicando-se também à literatura infantil. O seu primeiro livro de poemas para crianças data, porém, de 1950: Bicos, Bichinhos e Bicharocos. No Brasil, fundou a Editora Giroflé. Faleceu em Curitiba no ano de 1982.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home