10.12.06

Só publica quem quer

A ex-companheira do inefável Pinto da Costa, uma galdéria qualquer que ele trocou por uma esposa devota, na boa tradição do velho baboso português, publicou um livro onde se aplica na descrição dos podres, em sentido literal, do presidente do FCP. Não li, não vou ler, não me interessa, mas acho piada que ande para aí alguma indignação pelo facto do livro ter sido editado pela Dom Quixote. Não entendo a admiração. Há muito que a Dom Quixote vem contribuindo para o ambiente de pocilga que reina nas bancas de livros das grandes superfícies e nas montras da grande maioria das livrarias portuguesas.

3 Comments:

At 3:52 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Henrique,
A sebentice editorial da Dom Quixote era manifestamente inferior às outras, e isto apesar de ser de longe a maior editora portuguesa (perdão, espanhola a operar em Portugal). Basta ver a quantidade de autores de referência que publica.
Obviamente que há aquelas que jamais desceriam a este nível, como por exemplo, a Relógio d'Água, a Assírio ou até a teorema. Todavia, com a edição deste livro pela alardeada erudita da Dom Quixote (é, por exemplo, a autora da fotobiografia de A. Lobo Antunes) faz perceber (se é que alguém ainda não havia entendido) que o arrivismo tão português não escolhe classes sociais.
Quanto ao JNPC, acho-o, sinceramente, um velho sebento que já tinha idade para ter juízo. Curiosamente, a minha mulher (sportinguista dos sete costados) lembrou-me uma frase por mim proferida há cerca de 3-4 anos: “Esta gaja vai ser o princípio do fim do Pinto da Costa! Vais ver…»
E Henrique, sim, fui eu e creio que apenas o João Gonçalves que nos indignámos com a publicação dos casos de flatulência de JNPC, com as brincadeiras do Lobo Mau e do Capuchinho Vermelho, etc.
Que o homem não é flor que se cheire, julgo que não restam dúvidas. Agora que a maior editora nacional dê cobertura a esta chafurdice dá-me o direito de manifestar a minha indignação.
Um abraço,
André

 
At 4:51 da tarde, Anonymous hmbf said...

Os excertos que ouvi ontem, no Eixo do Mal, deixam perceber o tipo de lixo que é aquele livro. Nada a obstar. A questão aqui é a admiração. A Dom Quixote tomou um rumo, de resto bastante debatido nos weblogs e nos jornais. Este livro é só mais um degrau na direcção da fossa, talvez a confirmação do tal rumo que já se adivinhava.

 
At 12:43 da manhã, Blogger Vida Involuntária said...

Emtão não foi esta editora, que publicou uma foleirada imbecil de uma "stripper", ainda há pouco tempo?
Os nossos editores, salvo honrosas excepções, são desde a inefável Zita até este "Sancho Pança" o verdadeiro espelho da mentalidade lusa, actual.
E eu que ainda tenho edições da D. Quixote do tempo da Snu....
Faz pena, realmente, ver uma tão nobre tradição editorial a avacalhar-se.
Quanto a Pintinhos, Valentins, Vieiras e Catarinas, quem é cliente dos seus impérios futebolísticos, que torça a orelha.
Eu não, que nunca comprei um jornal desportivo, mudo logo de canal se ouço a "boizaria" dos estádios e acho o rapazinho Cristiano Ronaldo um perfeito especimen de servente de trolha pretensioso.Já para não falar da excelente pronúncia inglesa do Mourinho e das publicidades repelentes que faz: "porque se não fosse para ganhar....!"

Inté.
Vi.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home