27.6.07

INÉRCIA DE ESTILO


Na vida, na arte, na luta, onde te derrotam,
O mais terrível é a inércia de estilo.
É um hábito que, parece, se torna consciente.
É terminar uma coisa e não ficar aliviado.
É ter mudado e pensar como antes.
É aspirar à verdade e mentir como um impostor.

É a alma sofrer e não lhe dar atenção.
É estar certo e trair-se.
É já não ter asas, mas só uma pluma,
É já não confiar – temer a falsidade.

O estilo é coragem. Fazer uma declaração de coragem!
Tudo perder, mas não desistir das ilusões –
Mesmo que o coração esteja pequeno já…

A justiça acabou – também possivelmente começou.
Quem imagina derrota – não evolui…

O mais terrível é a inércia de estilo.


Tradução de Manuel de Seabra.

Naum Korzhavin

Naum Korzhavin nasceu em Kiev a 14 de Outubro de 1925. Descendente de judeus, frequentou o Instituto Gorky de Literatura. Preso em 1947, retomou os estudos em 1956, na sequência de uma amnistia que se seguiu à morte de Estaline. Começou a publicar os primeiros poemas por essa altura, em revistas e jornais, aparecendo o seu primeiro livro, Gódy (Anos), apenas em 1963. Emigrou para Boston já na década de 1970, fugindo ao regime soviético. Escreveu poemas, ensaios e artigos, fazendo circular clandestinamente os seus textos na sua terra natal, onde regressou apenas em 1989.

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home