18.6.07

TESTEMUNHAS DE JEOVÁ NUMA FEIRA DE MONOS


Carolee Schneemann
Chego a casa, abro a caixa do correio postal e tenho à aguardar-me, entre um folheto das testemunhas de Jeová, publicidade dos hipermercados Modelo, Feira Nova, Intermarché, E.Leclerc, Lidl, Plus, Mini-Preço. Descobrir no meio daquele monte de papel inútil um folheto das testemunhas de Jeová, foi, sem dúvida, uma experiência apaziguadora. Podemos olhar para aquele folheto de duas maneiras. A primeira dir-nos-á ser aquele folheto, tal como o Dica da Semana, apenas mais uma forma de promoção de um produto, no caso a fé, a religião transformada em comércio, Deus convertido a atractivo comercial, último reduto de uma fé cujos milagres podem também ser alvo dos discursos persuasivos e aliciantes da publicidade. Neste caso, trata-se de uma forma publicitária arcaica, em desuso, extremamente simples e até um pouco obsoleta tendo em conta estes tempos de magical design que são os nossos. A segunda forma de olhar o folheto das testemunhas de Jeová, talvez mais cândida e menos maquiavélica, tenderá a inclinar-se para aquela folha isolada, para aquele pedaço de papel, como um pequeno esforço ao serviço da palavra divina, uma espécie de poesia das almas perdidas, em vias de extinção como toda a poesia, neste mundo em que a toda a hora as almas se julgam achadas. Trata-se de um folheto publicitário muito distante do cumprimento das mais elementares regras publicitárias, um folheto que nos transporta no tempo, que nos envia para uma época anterior à própria publicidade, um folheto que mais do que pretender convencer-nos da necessidade de um produto tenta persuadir-nos através da imagem gasta desse mesmo produto. Eu, confesso, olhei para o folheto e pensei: ainda bem que aqui estás, ó figura de Jeová, entre as carnes do Modelo, as frutas do Feira Nova, os óleos do Intermarché, a doçaria do E.Leclerc, as promoções do Lidl, as cervejas do Plus, os preços imbatíveis do Mini-Preço. Ainda bem, ó folheto de Jeová, que aqui te apresentas como uma espécie de salvação, poesia quotidiana melhor não há neste mundo onde, tal como a fé, tal como a poesia, tal como a resistência, tudo é ditado pelo valor económico que tem no mercado das elites. Tu não és senão a anti-arte de artistas sem nome, como sem nome eram os artistas antes da arte se haver convertido às técnicas do consumo. Mas ao mesmo tempo, e não sem paradoxo, tu és também o que resta de uma chama estética ao serviço do próprio consumo, assim como aquela arte que se afirma pela prática de uma anti-arte, que se torna distinta por rejeitar qualquer tipo de distinção, que se impõe nas sociedades do nosso tempo como um esgotamento de todas as tradições, como uma falência de todos os “ismos”, como a morte definitiva das correntes que outrora permitiram aos homens pensar o mundo para lá do mundo. Vejam bem o preço a que a vida está: quem almeje a eternidade converta-se às testemunhas de Jeová, apareça nas galerias, compareça aos eventos, rasteje aos pés dos ícones institucionalizados, contracene nos corredores da glória, não entre as massas, mas entre as elites que consomem aquilo que, junto das massas, passa por ser arte. Giulio Carlo Argan bem viu no cartaz publicitário um estímulo para a adopção de um comportamento directamente associado ao consumo, não sei se ele previu foi esta transmutação do mundo artístico num grande cartaz publicitário. O que importará doravante discutir é se num mundo onde todos venham a ser testemunhas de Jeová, Jeová ainda fará algum sentido. Ou, de outro modo, se num mundo onde todos venham a ser testemunhas de Jeová, ainda fará sentido falar de testemunho. O que hoje se desenha já não é uma crise, é antes a ausência de soluções e de perspectivas numa fase posterior à crise. O que hoje se desenha é uma montra de saldos onde ficarão eternamente expostas todas as actividades não lucrativas, todas as actividades não rentáveis de um ponto de vista financeiro. O mundo dos criadores é uma feira de monos onde, entre uns tantos reconhecidos enquanto artistas – normalmente aqueles que melhor se adaptaram aos tentáculos do mercado -, passeiam-se muitos outros que dificilmente se distinguem enquanto produtores ou fruidores, artistas ou público.

7 Comments:

At 7:27 da tarde, Blogger MC said...

:)

 
At 10:32 da tarde, Blogger etanol said...

As testemunhas de Jeová estão proibidas de fazerem transfusões de sangue, se o mundo fosse deles, porra! Quanto aos monos é mesmo assim.
Maria João

 
At 5:36 da tarde, Blogger R. said...

Pois é, Maria João. E, se alguém adoece - com o tipo de doença cuja hipótese de cura possa implicar uma cirurgia e, como tal, a possibilidade de uma transfusão -, há uma espécie de vigilância cerrada sobre essa pessoa... Cheios de boas intenções, é claro. Ah, as boas intenções...

 
At 2:10 da manhã, Anonymous Anónimo said...

simplesmente ridículo o que está escrito; as pessoas tem péssimo hábito de julgar sem ter conhecimento do que está sendo julgado

 
At 11:45 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Entre no site do google.
e digite o sangue esta sendo prejudicial a saude. Respeites as pessoas. Mas os cientistas estão descobrindo que aplicar sangue não é benefico existe um substituto do sangue um liguido branco que é bem mais aceitavel em nosso corpo. não estou falando de religião mas da propria ciencia.
Agora que na biblia esta que não devemos tomar sangue isso está.

 
At 10:39 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Você com certeza perdeu (literalmente) muito tempo em escrever esse texto! Imagine se você se informasse antes de escreve? Até seria útil. Ou quem sabe você já se informou e decidiu não ser útil ?

 
At 1:30 da manhã, Anonymous Anónimo said...

no passado existiam os fariseus,os escribas,os saduceus e os sacerdotes do governo bem como outros simpatizantes deles os citados a cima.Pois bem qual foi a primeira açao deles para tentar derrubar o cristo ou a palavra;eles criarao uma aliança entre si para tentar derrubar o conhecimento da verdade que estar em cristo.Do mesmo modo que todos eles fizeram no passado hoje em dia esta acontecendo o mesmo todas as religioes que tem o mesmo ensino bem como enferno e a onde as pessoas vao,a terra vai ser destruida,que todos vao para o ceu,que o sacrificio a oferta e o dizimo e a certeza da salvaçao.Todos esses ensinos tem uma patente dono nao e DEUS nao, mais qual e a relgiao que e mae desses ensinos por ser a mais velha de todas?Toda religiao que ensina da mesma forma que aprendeu com a outra ela deixa de ser religiao e passa a ser laranja difarçado no nome mais identificado nos ensinos por fim todos no passado se ajuntaram contra cristo hoje todas se ajuntam contra as TESTEMUNHAS DE JEOVA. Depois eu explico uma ideia de um modo bem simples de voce nunca mais perguntar sobre o sangue sim as ideias sao fortes e seguras.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home