26.7.07

A FILHA DO FACÍNORA

Imagem respigada aqui.

Ninguém fala de Angola em Portugal. À direita ou à esquerda, olha-se para aquela situação como uma excelente oportunidade de negócio. O raciocínio é prático e simples: se não formos nós a fazê-lo, outros fá-lo-ão. Veja-se o exemplo da filha favorita do facínora. Perdeu-se na boémia em tempos de juventude, encontrou-se no mundo dos negócios já em idade adulta. Em Portugal há uns tantos vampiros que lhe apreciam o estilo. Logo, toca de se lançarem em «alianças e negócios estratégicos». Coisa fácil de decifrar: um país miserável, antidemocrático, engorda de facínoras com filhas extravagantes, é sempre uma oportunidade estratégica aos olhos das sanguessugas que se estão marimbando para os ossos partidos do povo. Façamos o inventário da Isabel: sócia de Américo Amorim no quarto maior banco de Angola, negócios com o BES Angola, amiga da Impresa, que detém a Caras angolana, onde, por mero acaso, a mana Tchizé é directora executiva, participa em empresas de extracção e comercialização de diamantes, representa a Sonangol, empresa petrolífera angolana, em vários negócios – compra de 15% da Galp, por exemplo – e ainda tem tempo para meter uma mão na Cimangola, por intermédio da Cimpor, e uma perna no negócio das telecomunicações. Mas há mais: ligações com a Iduna (empresa de mobiliário com sede em Braga), etc, etc, etc. Nascida na ex-URSS, tem a escola toda do papá. No último aniversário, cantaram-lhe os parabéns 700 amigos. Não sei se o menino da fotografia esteve lá para provar o bolo. Nandinho, ‘tás fodido pá. Com filhas destas, nem a morte do facínora te libertará.

1 Comments:

At 12:53 da manhã, Blogger loucomotiva said...

Angola também me preocupa, como toda a África me preocupa. Mas em África sinto que tenho um handycap permanente, sou branco. E os poucos pretos que enriquecem como as filhas deles, sabem bem usar isso como arma.
Em África está patente a hipocrisia do paraíso e dos valores da Europa em cada canto, em cada momento.
bonito post Henrique, e obrigado.

Jorge Garcia Pereira
loucomotiva.blog.com

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home